Eram dois candidatos do PSB à presidência da Assembleia Legislativa, mas nenhum dos dois foi o agraciado. Ontem, o governador e presidente da legenda em questão, Cid Gomes, surpreendeu e anunciou como pretendente ao posto aquele que era considerado o “curinga” na composição da Mesa Diretora: o atual líder do Governo, Roberto Cláudio (PSB).

“Eu conversei ontem (quinta-feira) com o deputado José Albuquerque (PSB) e hoje (ontem) com o deputado Welington Landim (PSB), isoladamente. Tentamos fazer uma composição entre os dois, um entendimento entre os dois”, explicou Cid, sobre o motivo que o teria levado a escolher o terceiro nome, conforme antecipou ontem o blog do jornalista Fábio Campos.

“Mas, no que pese o respeito que cada um manifestou pelo outro, não foi possível que eles chegassem a um entendimento”, completou.

Depois de estrear um mandato como vice-líder do Governo, Roberto Cláudio já era tido como um dos mais chegados ao Palácio Iracema. Chegou a ser cogitado para, pelo menos, duas secretarias de Governo: Saúde e Ciência e Tecnologia.

No entanto, sua permanência na Casa levantou suspeitas de que estaria ali para resolver um impasse, caso necessário.

Liderança do bloco, presidência de comissão e até a vice-liderança. O que viesse estava bom. Era esse o discurso de quem garante que até ontem pela manhã não esperava a indicação. “Foi certamente uma boa surpresa”.

Apesar da expressão pouco feliz de ambos os candidatos preteridos, Roberto Cláudio garantiu que a receptividade “não poderia ter sido melhor”. Tanto Zezinho como Welington saíram rapidamente logo após o anúncio.

Cid fez questão de ressaltar que “Zé” é um amigo de longas datas e que Welington, “não menos querido, não menos amigo”.

Composição

O PT, segundo Cid, está fora da Mesa por já ter sido “bem aquinhoado” com três secretarias e a liderança do Governo, com Antônio Carlos.

Com isso, deve-se fechar o “consenso” para uma chapa única a ser votada no início de fevereiro com a seguinte composição, fruto de acordo político: José Sarto como 1º vice-presidente; 2ª vice-presidência destinada ao bloco PHS/PCdoB/PRB/PMN/ PSL/PTB – possivelmente Tin Gomes (PHS); PMDB com 2ª Secretaria e PSDB com 3ª e 4ª Secretarias. Zezinho e Welington ficam exatamente onde estavam: na 1ª secretaria e na liderança do bloco PSB-PT, respectivamente.


ENTENDA A NOTÍCIA
Discreto e sempre muito fiel ao governador Cid Gomes (PSB), Roberto Cláudio nunca teve atuação de muito destaque, embora sempre tenha estado por perto nos momentos decisivos. Virou curinga e solução para uma disputa polarizada entre parlamentares muito mais experientes.

(Giselle Dutra – O Povo Online)