Micheline Albuquerque, 39, voltou para casa, em Fortaleza, trazendo no peito o orgulho de um bom trabalho realizado. A professora de Português viajou para a Brasília para receber uma placa e um certificado de distinção e mérito na quarta-feira, 12. Era o reconhecimento pela excelência do trabalho realizado a correção das redações do último Exame Nacional de Ensino Médio.

“Estava de licença médica e para não ficar tão ociosa aceitei participar da correção. Acredito que a experiência que tenho em corrigir redações foi o que me ajudou a obter esse destaque”, diz a professora.

Os critérios para a escolha, a professora, hoje concursada da Secretaria Municipal da Educação, sabe definir bem. “Em cada 100 redações, uma já tinha sido passada pela avaliação de uma equipe especializada. Seria necessário se aproximar dessa avaliação”, pontua. A pontuação que Micheline adequou às provas muito se aproximou das dadas antes. A velocidade da correção e a variedade nas notas também ajudaram na pontuação da professora.”Se você demora pouco com uma prova, é muito rápida,provavelmente não está fazendo direito. Também não é possível demorar demais, pela quantidade de provas”, avalia.

A experiência de dez anos lecionando em uma grande escola particular de Fortaleza contribuiu, acredita Micheline, para que ela realizasse o trabalho com tanto amor. O mesmo sentimento ela tenta transmitir para os filhos, Victor Hugo, 16; Diego Henrique, 13 e Rodrigo, 10. “Os três são muito estudiosos. Receberam medalhas nas escolas. Acredito muito na frase que diz que, ao invés de mandar fazer, dê o exemplo”, orgulha-se e relaciona com o modelo de estudo e dedicação que ela e o marido representa.

(O Povo Online)

Anúncios