De acordo o ex-secretário de Finanças de Pindamonhangaba (SP) Silvio Serrano, uma empresa da família de Paulo César Ribeiro, cunhado do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e um dos 11 irmãos da primeira-dama Lu Alckmin, se beneficiou de contrato fraudado para fornecimento de merenda escolar no município. É o Serrano, exonerado após o surgimento das denúncias, afirmou em depoimento ao Ministério Público no dia 26 de dezembro do ano passado. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Serrano afirma que Lucas César Ribeiro, filho do cunhado de Alckmin, “fazia transporte de gêneros alimentícios para a Verdurama”, em referência à empresa suspeita de ser pivô do esquema da merenda. O jornal apurou que a empresa da família, Lucas CR Transporte e Logística, supostamente localizada na residência de Thiago César, outro filho de Ribeiro, emitiu pelo menos 37 notas fiscais seriadas para a Verdurama, que teria sido favorecida por Ribeiro para vencer o processo licitatório, no qual concorreu com o valor de R$ 6,8 milhões. Em troca, 10% da quantia recebida pela Verdurama para a entrega das merendas seriam rapassados para a Lucas CR Transporte e Logística, que seria empresa de fachada, de acordo com apuração da Promotoria. O advogado Gilberto Menin, que defende Ribeiro, afirmou que estuda “medidas sobre o vazamento do inquérito”, que corre sob sigilo. Depoimentos também sugerem que a Verdurama teria feito doações não declaradas à campanha à reeleição do prefeito João Ribeiro (PPS). A prefeitura afirma que há uma comissão analisando o caso na Câmara Municipal e nega doações não registradas à campanha.

(Portal Terra)

Anúncios