Renato Seabra

Redação Portal IMPRENSA

O modelo português Renato Seabra, acusado de ter assassinado o jornalista Carlos Castro na última sexta-feira (07), pode ser condenado a penas entre 25 anos à prisão perpétua pelo crime. Castro, que também é português, foi encontrado com sinais de espancamento e mutilação sexual em um quarto de hotel em Nova York (EUA).

De acordo com O Globo, Seabra confessou a autoria do crime aos policiais, dizendo que matou o jornalista para se “ver livre de demônios e de vírus”. Atualmente, o modelo está sob custódia policial e internado na ala psiquiátrica do Hospital Bellevue, e não pode receber visitas.

Autoridades acreditam que o crime não foi premeditado. O relatório da autópsia feita no corpo de Castro indica que ele foi morto por estrangulamento e agressões violentas. Seabra admitiu ter agredido o jornalista por mais de uma hora, antes de bater com o monitor de um computador em sua cabeça e, sem seguida, castrá-lo usando um saca-rolhas.

O profissional de imprensa era um famoso colunista social em Portugal, e o modelo havia participado de um reality show no país. Os dois viajaram aos EUA para acompanhar as comemorações de Ano Novo e assistir a espetáculos da Broadway, e se hospedaram no Hotel Intercontinental, onde o corpo de Castro foi encontrado por funcionários. A mãe do acusado de cometer o crime havia negado o envolvimento entre Seabra e o colunista e afirmado que o filho é heterossexual.

(Portal Imprensa)

Anúncios