Em Ubajara, a 330 km Fortaleza, a agricultora Cleide Pereira, de 24 anos, mãe de três crianças, decidiu doar a mais nova delas, uma menina que agora tem quatro meses, para um casal de Fortaleza, alegando falta de condições financeiras para criá-la.

Desempregada, Cleide pediu ajuda de uma vizinha que trabalha em um hospital público de Ubajara, para encontrar um casal disposto a adotar a menina. O acordo foi selado em dezembro passado, mas bastou apenas uma noite sem a filha para a mãe se arrepender e pedir a criança de volta.

Por telefone, Cleide entrou em contato com o casal que ficou com a pequenina. Na ocasião, segundo a mãe, o homem teria oferecido R$ 2500,00 pela criança, oferta prontamente recusada.

O casal então explicou que havia viajado com a bebê no mesmo dia em que a recebeu, e que só estaria de volta no início de janeiro, quando devolveriam a menina. Mas desde então ninguém apareceu e as ligações de Cleide não foram mais atendidas. A única recordação que restou da criança, foi um vídeo gravado em um celular.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil do município de forma sigilosa. De acordo com a polícia, os envolvidos podem ser presos a qualquer momento.

Para o juiz da Comarca de Ubajara, Elisson Pacheco, que acompanha o drama de Cleide, ainda é cedo para afirmar que houve um sequestro, lembrou que existe uma investigação, mas advertiu que, mesmo assim, o casal que está com a guarda ilegal da criança pode ser punido.

A reportagem completa, você pode ver nesta quarta-feira no programa Giro nas Ruas, que vai ao ar de manhã cedo, às 7h.

 Ricardo Lima- Jangadeiro Online