O clima de desentendimento no PSDB no Ceará se agravou com a indicação do deputado estadual Gony Arruda (PSDB) para assumir a Secretaria de Esportes (Sesportes) na gestão do governador reeleito Cid Gomes (PSB).

Parceiro de campanha do senador não-reeleito Tasso Jereissati (PSDB), o deputado estadual Marcos Cals (PSDB) se mostrou indignado com o fato de Gony não ter procurado obter a necessária autorização prévia à executiva do partido nem ter pedido licença antes de aceitar o convite do governador, conforme alega que preconiza o estatuto do PSDB. Gony argumentou, por outro lado, que não teve tempo de falar com a executiva e devolveu a acusação a Cals.

Foi ele (Marcos Cals) quem deixou de consultar o partido na época em que foi convidado por Cid para assumir a secretaria de Justiça e Cidadania”, afirmou Gony à imprensa, ontem, após ser empossado como presidente da Assembleia Legislativa.

Procurado pelo O POVO, Cals detalhou que procurou, individualmente, cada um dos membros da executiva do PSDB para saber se havia alguma objeção à ideia de um membro do PSDB entrar no governo Cid Gomes. “Isso aconteceu entre os dias 22 e 27 de dezembro de 2006. Tive autorização do partido”.

Sem pressa

Tanto Cals quanto o presidente estadual do PSDB, Raimundo Gomes de Matos (PSDB), discordam do meio que Gony usou para legitimar, no âmbito do partido, sua decisão. 

Gony diz ter procurado os dez mais votados candidatos a deputado estadual pelo PSDB nas últimas eleições, incluindo eleitos e não eleitos. Destes, Fernando Hugo (PSDB) teria dito não concordar e João Jaime (PSDB) não teria sido localizado. Os outros oito, disse Gony, lhe deram aval para aceitar o convite.

“Mas o partido não são apenas os deputados estaduais, são também os federais, os prefeitos, as lideranças. O partido tem senador”, criticou Gomes de Matos. O presidente do PSDB, que só foi informado por Gony após o anúncio oficial, evita falar em expulsão de Gony dos quadros do partido. “A executiva, por enquanto, não pode fazer nada. Temos que esperar ele (Gony) assumir efetivamente a secretaria”.


ENTENDA A NOTÍCIA –  Até Gony Arruda (PSDB) assumir a Sesportes no governo de Cid, em janeiro, nada lhe acontecerá. A reação pode vir após esse momento e como demonstração de insatisfação dos tucanos mais ligados a Tasso Jereissati.

SAIBA MAIS  –   Ao falar com Raimundo Gomes de Matos, presidente do PSDB, para informar a decisão de ter aceitado o convite de Cid, Gony Arruda argumentou que, com seu afastamento, o partido seria beneficiado com a entrada de um suplente na Assembleia.

Procurados pelo O POVO, Téo Meneses (PSDB) e Osmar Baquit (PSDB) confirmaram que foram procurados por Gony e que concordaram com a indicação.

A posse de Gony Arruda como titular da Sesportes está marcada para o dia 3 de janeiro.

O senador Tasso Jereissati, que é a principal liderança tucana estadual, mantém-se distante da crise e, até o momento, não deu qualquer declaração pública sobre ela. 

(Pedro Alves – O Povo Online)

Anúncios