O superintendente da Polícia Federal em São Paulo, Leandro Daiello Coimbra, é o novo diretor-geral da Polícia Federal. A informação foi confirmada na tarde desta quarta-feira (29) em coletiva de imprensa com o futuro ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

O atual diretor da PF, Luiz Fernando Corrêa decidiu se aposentar – o pedido foi publicado hoje no Diário Oficial da União. Há três anos Corrêa está no comando da PF.

Daiello, gaúcho de 44 anos, está na PF desde 1995. Foi chefe de repressão de crimes fazendários e coordenador geral de polícia fazendária da política executiva da PF. Desde 2008 está à frente da superintendência de São Paulo.

Formado em direito pela PUC-RS, já comandou a Delegacia de Repressão a Entorpecentes e a Delegacia de Repressão aos Crimes Fazendários.

Um dos cotados para o cargo, o superintendente da PF no Rio Grande do Sul, Ildo Gasparetto foi preterido na disputa. Gasparetto é apadrinhado pelo ex-ministro da Justiça Tarso Genro (PT), governador eleito do Rio Grande do Sul.

“Não foi uma escolha simples. A Polícia Federal tem quadros hoje altamente qualificados, pessoas extremamente gabaritadas e não é fácil escolher um nome dentre a oferta de nomes absolutamente fantástica que a Polícia Federal nos fornece.

O futuro ministro afirmou que demorou “mais do que esperava” para fazer a escolha.

PRF

O futuro ministro afirmou que o diretor-geral do Departamento de Polícia Rodoviária Federal, Hélio Derenne, será mantido no cargo. Cardozo confirmou ainda o nome de Luiz Paulo Barreto, atual titular da pasta, na secretaria-executiva da Justiça e reconheceu que apenas um secretário ainda não foi decidido pela equipe de transição.

Cardozo, entretanto, preferiu não divulgar o nome dos novos titulares. “Seria uma profunda deselegância da minha parte se eu anunciasse publicamente sem comunicar aos atuais [secretários]”, disse.

(Folha Online)