Os participantes da 86ª Corrida de São Silvestre poderão retirar os kits de participação entre terça e quinta-feira desta semana (28 a 30 de dezembro), no Ginásio Mauro Pinheiro, localizado na rua Abílio Soares, 1.300, no Ibirapuera. Como nos anos anteriores, o kit não poderá ser retirado no dia 31, data da prova, e nem mesmo após o evento.

Durante a terça e quarta-feira os corredores poderão comparecer ao local das 9h às 19h, e na quinta-feira das 9h às 17h. O material para os corredores apresenta uma série de novidades neste ano. A principal delas é a inclusão de um chip descartável que tem como objetivo aumentar a rapidez na dispersão dos corredores na chegada da prova e oferecer maior segurança aos 21 mil participantes. Além do chip descartável, o kit contém número de peito, guia de informações do atleta, manual do corredor e medalha de participação.

Até o ano passado os atletas ficavam posicionados em uma fila, que passava pela área de um estacionamento, para devolver o chip e pegar sua medalha correspondente. Como a devolução era obrigatória, a concentração gerava dificuldades de dispersão. A partir deste ano, o estacionamento tem um projeto de edificação já anunciado, e não existirá outra área apropriada para este fim que possa garantir a circulação e segurança do publico. Além disso, no mesmo local estarão circulando, no horário de transição da São Silvestre para o Reveillon, mais de 100 mil pessoas entre os participantes da SS e aqueles que chegam para o Reveillon na Avenida Paulista.

Com a mudança, ao final da corrida todos estão liberados, facilitando a dispersão e promovendo a segurança uma vez que os dois eventos ocupam a mesma região. Quem quiser pode ir para casa ou procurar por sua escolha postos de água e lanche, distribuídos em pontos individuais e isolados, ou mesmo dirigir-se diretamente ao guarda-volumes para pegar seus pertences, quando utilizarem este apoio. Em função da necessidade de fluxo de pessoas e da promoção da segurança o guarda-volumes também mudou. Agora será concentrado em 20 caminhões Correios/Sedex estacionados na rua São Carlos do Pinhal, a partir da alameda Campinas até as proximidades da rua Augusta.

“Todas essas mudanças foram feitas para promover a segurança e o conforto do corredor e público espectador. O Comitê Organizador da São Silvestre e do Reveillon, em conjunto com a CET e Polícia Militar, estudaram todas as alternativas de fluxo da região com critérios baseados na segurança do público, circulação, suporte médico durante a prova, acesso do público ao Reveillon e todo o processo de transição das pessoas da São Silvestre para o Reveillon. Também não poderíamos usar todas as vias da região para montar a infraestrutura pós prova, pois sufocaríamos o trânsito, prejudicando empresas e moradores”, resssaltou Kassabian, diretor de operações da São Silvestre.

(Portal Terra)