Didi Mocó, o personagem trapalhão criado pelo humorista Renato Aragão, chega a meio século de vida. E para comemorar, a Globo exibe no próximo domingo (26) à noite o especial “Nosso Querido Trapalhão”.

Para o programa, Renato concedeu à jornalista Patrícia Poeta uma longa e emocionante entrevista, que é a base para a reconstituição de sua vida, em formato dramatúrgico. “Para mim, o Renato Aragão é o nosso Chaplin ou o nosso Mazzaropi. Além de um grande talento, ele tem uma história incrível de vida, que poucos conhecem e que vamos contar. Por exemplo, ele sobreviveu a um grave acidente de avião”, conta Jayme Monjardim, um dos diretores do programa
Três atores interpretam Renato Aragão no especial. Vinícius de Oliveira, na fase jovem e adulta; Lucas Cavalcante, aos dez anos; e Frank William, aos quatro anos. Prazeres Barbosa e Amilton Monteiro vivem Dinorá e Paulo Aragão, os pais de Renato, caçula de oito filhos.

‘Nosso querido trapalhão’ dramatiza momentos marcantes da vida de Renato. A infância em Sobral, no interior do Ceará, onde ele nasceu; o dia em que foi selecionado para ter um programa na recém-inaugurada TV Ceará; a vida na casa em Fortaleza; a criação do nome artístico Didi; sua convivência com a família; a relação com a obra de seu ídolo Oscarito; a mudança para o Rio de Janeiro e o encontro com Dedé, Mussum e Zacarias; e o dia em que beijou a mão do Cristo Redentor. “O Didi é meu alterego e meu amigo, faz coisas que eu não teria coragem de fazer. Ele não tem idade, atravessa gerações”, diz Renato Aragão.

(Jornal A Cidade)