Na Alemanha, como no Brasil, é na véspera de Natal que se presenteiam parentes e amigos. Mas a comemoração é em 25 /12, quando, em muitos países, também transcorre a troca de presentes. Por que o Natal cai nesse dia?

A questão do Natal é parecida com o mistério da concepção da Virgem Maria. Ninguém sabe ao certo como aconteceu. Nos primeiros séculos da nossa era, havia na Palestina até mesmo cristãos que comemoravam o nascimento de Jesus em maio. Tradição, aliás, que muitos alemães até pensam não ser uma má ideia, considerando o estresse de fazer as suas últimas compras de Natal enfrentando o frio e ruas abarrotadas de neve.

Natal invernal desde século 4º

A tradição de se festejar o Natal durante o inverno europeu foi estabelecida no século 4º. Em 336, o 25 de dezembro é mencionado oficialmente pela primeira vez como o aniversário de Jesus. Mas o motivo dessa escolha é discutido pelos estudiosos até hoje. Alguns dizem que a data decisiva para o cálculo foi o 25 de março, quando dia e noite têm duração igual.

A data já tinha significado importante na era pré-cristã, e os cristãos tomaram posse dela, como a dia em que um anjo anunciou a Maria que ela teria um filho. Nove meses depois, e estamos no dia 25 de dezembro.

Mas que ninguém pergunte como se sabia que o anjo apareceu exatamente no dia 25 de março, ou por que uma concepção divina deve necessariamente durar nove meses.

Cristãos reciclaram costumes de outros povos

A teoria mais difundida sobre o Natal no fim do ano evoca a “Festa do Sol Vitorioso”, que os povos germânicos comemoravam no dia 21 de dezembro com muitas luzes. Eles temiam que o mundo saísse dos eixos, devido à longa escuridão e, com tochas e velas, garantiam que isso não iria acontecer, durante a noite mais longa do ano.

Já os cristãos, muito espertinhos, se apoderaram, conta-se, desse simbolismo de luzes e colocaram o nascimento do Messias, seu redentor, simplesmente na mesma data, dando um novo significado às festividades germânicas. Afinal, no Antigo Testamento o Salvador é, de fato, designado como a luz que virá ao mundo.

E como essa apropriação funcionou tão bem, os cristãos decidiram ao longo dos séculos também ir se apoderando de vários outros costumes pagãos. Um exemplo é a sempre verdejante árvore de Natal, um símbolo da fidelidade e da esperança, enfeitada com luzes, como sinal dos planos de Deus para salvar a humanidade.

Na Alemanha, assim como no Brasil, é na véspera de Natal que se presenteiam parentes e amigos. Porém o feriado é em 25 de dezembro, quando, em muitos países, também acontece a troca de presentes.

Autor: Martin Koch (md)
Revisão: Augusto Valente

Anúncios