Os shopping centers de São Paulo não poderão abrir suas lojas no dia de Natal nem no feriado de Ano Novo. Isso porque uma Convenção Coletiva de Trabalho, assinada entre os sindicatos dos comerciários e dos lojistas do Estado determina que é proibido o trabalho de funcionários do comércio nas duas datas.

“Esse é um direito do comerciário e deve ser respeitado. As empresas que agirem em desconformidade com o previsto na Convenção terão de arcar com o pagamento de multas”, afirma Ricardo Patah, presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo (filiado à UGT). A entidade representa cerca de 450 mil comerciários na cidade de São Paulo.

De acordo com a convenção, a multa pode chegar a R$ 38 por funcionário, caso as regras sejam descumpridas.

A Alshop, associação que reúne os lojistas dos shoppings do país, confirmou que é proibido que o empregador convoque os trabalhadores para trabalhar nestas datas. A entidade afirmou, porém, que a praça de alimentação e os parques dos shoppings funcionarão normalmente.

“As lojas têm autonomia e podem decidir funcionar. Quem abrir pode ser multado. Nossa orientação é para seguir a legislação. Se há um acordo, uma convenção feita para que os funcionários não trabalhem, deve ser respeitada”, diz Nabil Sahyoun, presidente da Alshop.

No ano passado, mesmo com o acordo firmado, o sindicato dos comerciários informou que várias lojas funcionaram. Os representantes dos trabalhadores acionaram a fiscalização da Superintendência Regional do Trabalho para autuar as empresas que desrespeitaram o acordo trabalhista.

FATURAMENTO

A venda de produtos eletroeletrônicos impulsionou o crescimento do varejo no Natal deste ano. A expansão das vendas em shoppings é 13% maior em relação às do Natal de 2009.

Com a oferta de produtos com mais tecnologia e câmbio favorável, o segmento de eletroeletrônico teve expansão de 17% em relação ao período de Natal do ano passado. TVs de LCD, notebooks, Ipods e produtos de informática foram os itens mais procurados pelos consumidores.

Outros dois segmentos que registraram incremento nas vendas foram o de perfumaria e cosméticos (crescimento de 17%) e o de óculos, bijuterias e acessórios (18%).

De janeiro a dezembro, as vendas nos shoppings cresceram 12% ante igual período de 2009. Os dados são da Alshop.

(Folha Online)