O sindicalista João Batista Silva Cruz, que mora no Desterro, localidade do distrito sobralense de Baracho, costumava sair do trabalho (Sindicato dos Trabalhadores Rurais) à noite. Desde que avistou uma forte luz no céu, no caminho para casa, “como se fosse um disco voador”, segundo diz, volta mais cedo, no fim da tarde. Também com medo dos fatos inexplicáveis que acontecem na comunidade (animais mortos com olhos e línguas arrancados) a dona-de-casa Luziara de Paula Silva não vai nem pra casa da mãe quando anoitece. É o temor dos moradores da zona rural do município, na Região Norte, depois dos fenômenos que eles atribuem à presença de Objetos Voadores Não Identificados (Ovnis) e extraterrestres.

“Não vi e não quero ver. Mas quando soube das notícias dos animais encontrados mortos e das luzes que aparecerem de noite no céu, eu não saio mais de casa se não for de dia”, diz Luziara que mora próximo à casa de João Batista. Ele recorda que vinha do trabalho de bicicleta e deu uma carona a um amigo. “Apareceu uma luz muito forte, era uma bola do tamanho de uma lua cheia. Não tinha barulho, mas se aproximava da gente cada vez mais. Parei e o meu amigo correu pra debaixo de cajueiro. Eu fiquei aguardando e pouco tempo depois foi se afastando e desapareceu”.

Além de João Batista, muitas outras pessoas que moram no Desterro (assim chamado para homenagear Nossa Senhora do Desterro) presenciaram o fenômeno. Maciel da Silva Souza não viu o objeto luminoso no céu, mas foi quem encontrou uma cabra sem os olhos e morta. “Estava em cima de uma laje, esticada e os olhos arrancados. Interessante é que não tinha sangue por perto”. Maciel disse que saiu cedo de casa para procurar o animal, a pedido do dono. “Pensamos que tinha sido roubada, mas não. Foi sacrificada e não sabemos por quem”. João Batista tirou a foto da cabra pelo celular.

O presidente do Centro Sobralense de Pesquisa Ufológica (CSPU), Jacinto Pereira, diz que muitos relatos de mutilação de animais têm chegado ao seu conhecimento. “Mas quando nos avisam e vamos até o local, os animais já foram sacrificados, enterrados ou devorados por cachorros. Só temos registros em fotografias e os relatos das pessoas”. Há pesquisadores de Sobral que relacionam a aparição dos Ovnis com os abalos sísmicos ocorridos na mesma região. “No Jordão só o que não faltam são moradores que relatam os fenômenos. Tive notícias de um jumento que também apareceu sem os olhos”, diz Jacinto.

O mais recente caso de mutilação de animais foi relatado a ele por um morador do distrito de Parazinho, a 19 quilômetros da sede do município de Granja, que fica a 100km de Sobral. Fagner Vasconcelos enviou um vídeo e depoimentos de pessoas da localidade.

ENTENDA A NOTÍCIA –  A localidade de Desterro fica no distrito de Baracho, em Sobral. Quando chove, a estrada que dá acesso ao local fica intransitável. As 51 famílias que vivem lá têm dificuldades também de conseguir água para o consumo. SAIBA MAIS No começo do mês de outubro passado, criadores de ovelhas que moram nas localidades de Espinhos e Pizunha, no município de Cruz, relataram ataques aos animais. Os bichos apareciam com os olhos arrancados. Os que ficaram vivos, sem os olhos, foram sacrificados.Mais de 40 animais sofreram as agressões – só em uma noite, 15 foram atacados – e muitos moradores culparam os guaxinins ou pessoas que utilizaram lâminas bem afiadas para retirar os olhos. As pessoas não perceberam barulhos dos animais, à noite ou na madrugada. Em Bela Cruz, também há queixa dos ataques a ovinos nas localidades de Guarda, Jenipapeiro, Correguinho e Matriz. Em um fim de semana, 17 ovelhas tiveram os olhos arrancados.

(Rita Célia Faheina – O Povo Online)

Anúncios