A Refinaria Premium II, a ser instalada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), deverá suprir as demandas por diesel do mercado nordestino. A informação foi divulgada ontem pelo diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Inicialmente, o empreendimento cearense seria voltado à exportação, mas por conta do forte crescimento do consumo de combustível no País, deverá abastecer somente ao mercado interno, conforme já havia informado o Diário do Nordeste, na edição do dia 18/11/2010.

Condição

A principal condição para essa mudança na estratégia da empresa, é que o PIB brasileiro se mantenha acima dos 4,1% durante os próximos dez anos. “Se o PIB for de 4,5% e o crescimento de derivados for proporcional ao PIB abaixo dele, o que talvez não aconteça, pode ser que seja acima, não vai sobrar um litro pra exportação. Vai ser consumido tudo no mercado interno”, afirma. Segundo ele, o plano inicial era que a produção da refinaria do Maranhão fosse para o mercado interno e a do Ceará para o externo, mas este ano, houve uma grande reversão ante a demanda de mercado. Com relação à produção da Premium I, 60% serão voltados à Região Centro-Oeste. A parcela restante deverá atender aos estados da Região Norte e também ao Piauí.

Valor é reduzido

O diretor de Abastecimento da petrolífera disse ainda que o valor de investimento previsto para as duas Premium será reduzido ante a previsão inicial. Sem informar cifras, ele detalhou que, com a entrada da americana UOP – tradicional fornecedora de tecnologia na área de refino de petróleo – nas plantas, “vai reduzir substancialmente o preço previsto”.

O projeto básico das refinarias será elaborado durante os próximos “oito ou dez meses”, e o detalhamento, de acordo com Paulo Roberto Costa, será todo realizado no País.

Antes da reavaliação dos empreendimentos e da entrada da UOP, a refinaria cearense e maranhense estavam programadas para consumir investimentos de, respectivamente, US$ 10 bilhões e US$ 20 bilhões.

(Diário do Nordeste)

// //

Anúncios