31% dos paulistas indicaram Fortaleza como principal destino. No Rio, Capital cearense ficou em segundo na preferência

Uma pesquisa inédita encomendada pela Secretaria do Turismo do Estado revela dado animador para o setor no Ceará. Fortaleza é apontada como o principal destino turístico nos últimos 5 anos entre habitantes de São Paulo, com 31% dos entrevistados indicando a cidade como local visitado no período.

No Rio de Janeiro, a Capital cearense só fica atrás de São Paulo como destino turístico mais procurado, com 19,5% dos que relataram viagens realizadas no território brasileiro.

Comparação com o NE

Em comparação aos estados nordestinos, Fortaleza aparece com destaque nos últimos cinco anos, com quase 40% das visitas realizadas na Região entre turistas paulistas. A cidade de Salvador, segunda colocada, aparece com apenas 17% desse total. No Rio de Janeiro, 29% das visitas ao Nordeste foram para a Capital cearense.

Destinos dentro do Estado

Outros destinos turísticos do Ceará também apareceram em condições superiores a algumas capitais nordestinas.

Entre os habitantes do Rio de Janeiro, Juazeiro do Norte teve 2% das visitas no Nordeste, acima de cidades como Maceió, com 1,71% e Aracaju, com 1%. Jericoacoara apresentou os mesmos 1,71%. Já em São Paulo, foi Canoa Quebrada que se destacou com 1,92%, das viagens à região nordestina.

Pela primeira vez, a pesquisa foi realizada entres os habitantes nas próprias cidades, ao contrário dos estimativas anteriores em que os entrevistados já se encontravam na capital cearense. “Dessa vez, pudemos ter percepções do turista no seu dia-a- dia. Outros questionamentos puderam ser feitos, mostrando as intenções desse consumidor potencial”, explicou o secretário de Turismo do Estado, Bismarck Maia.

Boas vendas

O Ceará também apareceu bem na pesquisa entre agentes de viagem. O Estado é o destino nordestino melhor vendido em São Paulo, aparecendo em 88% dos pacotes para a região.

No Rio de Janeiro, a liderança também se mantém, com 73% de inclusão.

Algumas tendências já esperadas como principais motivações para os turistas que procuram o Ceará foram confirmadas, como lazer, que foi apontado como motivo entre 74% dos entrevistados, e visitas de amigos ou parentes, com 36%. Mas o turismo de negócios, que entre especialistas é o que possui maior valor agregado, figura como opção entre apenas 11% dos entrevistados. O número é considerado baixo, de acordo com Bismarck Maia.

Centro de Feiras é indutor

“Esse tipo de turismo é o que todos querem, mas ainda precisa de uma alavancagem no Ceará. Com o Centro de Feiras em funcionamento, esse setor já deve apresentar sensível melhora”, prevê o secretário.

Internet influencia escolha

Um dado interessante tem a ver com a mídia que mais influencia na hora da escolha do destino. Na pesquisa realizada com os agentes de viagem, o veículo de comunicação que mais inflencia na preferência dos turistas é a internet. A grande rede figura com 53% no grau de importância, acima de folhetos/cartaz com 15%, revista com 8% e televisão com 8%.

Para os turistas cariocas e paulistas, a pergunta já foi direcionada no sentido de saber como se tomou conhecimento do Ceará como destino turístico.

A internet registrou 27% para o público paulista, ficando atrás de “comentários de parentes ou amigos”, com 40%. Já para os cariocas, a opinião de pessoas próximas influenciou 50% dos entrevistados e a internet 15,16%. Bismarck Maia reconhece a necessidade de um trabalho de divulgação com outro viés, explorando as novas mídias. “Antigamente se fazia um trabalho com workshops para agentes de viagem. Hoje vemos que isso é ultrapassado, por que os agentes de viagem já conhecem o Ceará como destino turístico. Temos que trabalhar diretamente com o público-alvo, o turista, se utilizando das redes sociais e das opções mais próximas a ele”, explica Maia.

Expectativa

Segundo o secretário Bismarck Maia, o crescimento da temporada de fim de 2010 e início de 2011 deve registrar um crescimento de, no mínimo, 22%. “Este foi o número que a CVC me deu de crescimento em relação ao ano passado em vendas para Fortaleza”, afirmou.

Para Maia, o segundo semestre deste ano teve vários momentos de 100% lotação, o que o classificou como alta estação, segundo Maia. Mas entre 15 de novembro a 15 de dezembro, ocorreu uma queda. “Mesmo assim, estamos com a taxa alta, diferente do ano passado. Mas, vamos ter uma ocupação, a partir de 15 de dezembro, de 100%”, destacou.

(GUSTAVO DE NEGREIROS – Diário do Nordeste)
 

Anúncios