Foram presos na manhã na quinta-feira (2) no bairro de Santo Amaro, no Recife, três estrangeiros autuados em flagrante acusados de realizar furtos em hotéis de luxo na cidade. Eles foram apresentados na manhã desta sexta (3) na Delegacia do Turista, que fica no Aeroporto Internacional do Recife.

Os homens detidos foram o peruano Leonardo Magno Castro Reyes, 35, o venezuelano Julio Córdoba e o chileno Gino Fernando Mendoza, 44. Eles foram presos em flagrante em uma pousada perto do Parque 13 de Maio, onde estavam hospedados. Momentos antes da prisão, eles haviam praticado furtos nos hotéis Mercure e Dorisol, ambos na Zona Sul do Recife.

Segundo depoimentos prestados pelos funcionários dos estabelecimentos, os homens teriam dito que estavam interessados em alugar o saguão para a realização de uma convenção. No momento em que os atendentes se distraíram, porém, eles agiram. Tudo ficou registrado nas câmeras de segurança dos hotéis.

De acordo com o delegado Darley Timóteo, o trio estava agindo na região há meses. O primeiro registro no Recife que aparenta ser de autoria do grupo foi feito há seis meses atrás e desde então pelo menos cinco furtos já foram identificados como praticados por eles. A polícia não sabe precisar se eles ficaram no Brasil continuamente ou se entraram e saíram do território várias vezes, já que não há nenhum registro de entrada ou saída deles no país.

MODUS OPERANDI – O grupo, que costumava agir pela manhã, praticava os crimes em equipe. Um deles distraía os funcionários e/ou vítimas, dando cobertura aos outros para que coletassem os pertences das pessoas que estivessem mais próximas ou vulneráveis. De acordo com o delegado, eles não chegavam a ir nos quartos, agiam geralmente no saguão e áreas de circulação comuns dos estabelecimentos. “Eles são muito bons de conversa. São inteligentes e já se planejavam para ir aos hotéis no horário de maior movimento, que é a hora do café da manhã, quando os turistas estão saindo para passear”, afirmou Timóteo.

Ainda segundo o delegado, os estrangeiros estão no Brasil ilegalmente. “Não há registro da entrada deles no país, por isso serão expulsos. O Julio e o Gino, inclusive, podem ser expulsos do país a qualquer momento, pois já havia a ordem de expulsão de um deles anteriormente à prisão, por crimes já cometidos em outros estados”, disse o delegado.

Para a Polícia, o caso de Leonardo é mais complicado, porque ele é casado com uma brasileira e tem um filho no país. No entanto, também há possibilidade dele ser extraditado, mas essa decisão caberá à Justiça Federal. A polícia chegou a ir até a casa da mulher de Leonardo, que mora no Recife, mas ela não estava. As informações são de que ela teria viajado para São Paulo.

Os três foram autuados em flagrante por furto qualificado na modalidade continuada e vão ficar no Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, aguardando decisão da Justiça Federal. Julio também vai responder por desacato à autoridade, resistência, desobediência e lesão corporal, porque reagiu à prisão e agrediu os policiais.

INVESTIGAÇÕES –  Alguns detalhes da ação do grupo ainda estão sendo investigados pela Polícia. Uma delas é a possibilidade de participação de uma quarta pessoa na quadrilha, alguém que supostamente receberia os materiais roubados. No momento da prisão, o grupo estava com alguns pertences das vítimas, mas a maior parte dos produtos dos roubos não estava em posse deles no momento. “Eles informaram que o produto da última investida teria sido jogado no Capibaribe, mas isso ainda está sendo investigado”, contou o delegado precisam ser averiguados pela Polícia.

Há registro de outras investidas do mesmo grupo em outros estados brasileiros. O chileno, inclusive, já cumpriu pena por esse mesmo crime no Rio de Janeiro em 1995, ocasião em que também foi preso em flagrante. Além disso, o trio estava foragido da justiça, porque também há registros de crimes similares, que teriam sido praticados por eles, no Rio Grande do Norte, no ano de 2006.

O delegado Darley Timóteo informou ainda que, além deles, outro trio também está agindo no Recife na mesma modalidade de furto. No entanto, até agora a polícia só tem imagens dos homens, registradas por câmeras de segurança, mas ainda não sabe seus nomes. Em breve essas imagens serão disponibilizadas para os veículos de comunicação, para que a população possa ajudar na captura dessas pessoas.

(JC Online)

Anúncios