Os confrontos entre policiais e traficantes levaram ao fechamento de 21 escolas e 12 creches do Rio nesta quinta-feira. A medida foi tomada para proteger alunos, professores e funcionários em áreas consideradas de risco. A maioria das unidades afetadas fica na zona norte da cidade.

Na rede estadual, foram fechados os colégios Compositor Luiz Carlos da Vila, em Manguinhos, Gomes Freire de Andrade, na Penha, Compositor Manaceia José de Andrade, em Madureira, e Olga Benário Prestes, em Bonsucesso. A secretaria estadual de Educação não informou o número de alunos que ficaram sem aulas.

Já na rede municipal foram fechadas 17 escolas e 12 creches. Juntas, elas atendem a 12.414 alunos.

Para as autoridades de segurança, a onda de ataques e incêndios em veículos são uma retaliação dos traficantes contra a instalação das UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) nos morros e favelas.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), fez na manhã desta quinta-feira um apelo à população para que não se “acovarde” diante da onda de ataques do tráfico e respalde a política de segurança pública do Estado.

Desde domingo, foram incendiados pelo menos 55 veículos e confrontos entre polícia e criminosos deixaram 27 mortos.

(Folha Online)