SÃO PAULO – O presidente da estatal paranaense de energia Copel, Ronald Ravedutti, morreu nesta quarta-feira em um acidente rodoviário na região de Campina Grande do Sul, próximo a Curitiba (PR). Segundo a assessoria de imprensa da empresa, ainda não está definido como será a sucessão do executivo, mas a decisão deve depender do Conselho de Administração.

Ravedutti, que tinha 59 anos, retornava de São Paulo, onde havia participado de seminário do setor de distribuição. Junto com o presidente viajavam mais duas pessoas – o motorista e um fotógrafo da coordenação de marketing, que não sofreram ferimentos.

O executivo, que assumiu a presidência da Copel em 27 de abril deste ano, estava na empresa há cerca de 40 anos, e já havia atuado como diretor de Finanças e de Relações com Investidores, de Gestão Corporativa e de Distribuição.

O diretor de Geração e Transmissão de Energia e de Telecomunicações da Copel, Raul Munhoz Neto, enviou nota em nome da diretoria executiva da companhia, lamentando o acidente e afirmando que sob o comando de Ravedutti “a empresa assumiu recentemente importantes desafios, todos conquistados em disputados leilões: uma grande linha de transmissão e uma nova subestação a serem construídas em São Paulo, e uma usina hidrelétrica a ser erguida no norte de Mato Grosso”.

A assessoria de imprensa informou à Reuters que Ravedutti deve ser velado na Assembleia Legislativa do Paraná, em horário ainda não definido, enquanto o sepultamento, a pedido da família, deverá ocorrer em Santo Antônio da Platina (PR), cidade natal do presidente da Copel, localizada a 364 quilômetros da capital.

(Reuters)

Anúncios