A operadora de telefonia e banda larga GVT anunciou ontem um investimento de R$ 18 milhões para ampliar sua operação em Fortaleza. O recurso será usado para elevar de 30% para 40% a cobertura do serviço na área da cidade. Onze bairros serão incluídos no mapa de atendimento da prestadora.

A GVT foi lançada há sete meses em Fortaleza, com um investimento de R$ 60 milhões. O vice-presidente Alcides Troller Pinto, ontem, detalhou que o crescimento da operadora em Fortaleza, acima da expectativa, obrigou a GVT a antecipar investimentos previstos para o próximo ano. A prestadora agora passa a atender 48 bairros.

A antecipação de investimentos, conforme Alcides, não significa que a operadora deixe de investir em Fortaleza no próximo ano. Ao contrário – segundo ele, a medida é um sinal claro de que a GVT quer seguir investindo na cidade. De acordo com o executivo, há planos de ampliar a cobertura em Fortaleza e, também, na Região Metropolitana. Caucaia é uma das cidades ora em estudo na GVT.

Inicialmente a GVT chegou em Fortaleza com 75 mil acessos. Cada acesso representa uma ligação – de telefonia e/ou banda larga. Já agora, com a ampliação, mais 25 mil acesso serão criados. Por questões legais a GVT não pode fornecer seu número de clientes hoje na cidade. Atualmente a companhia está em 96 cidades do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

Para janeiro a GVT começa a operar no Rio de Janeiro. Entre os planos da operadora também está o aumento de sua cobertura em São Paulo – hoje presente em quatro cidades. No início do ano a prestadora planejada faturamento de R$ 900 milhões. Em seguida a estimativa foi levantada para R$ 1,1 bilhão. Hoje, conforme ainda Alcides, a GVT deve fechar o ano faturando R$ 1,5 bilhão.

De acordo com Alcides, a GVT precisa observar uma série de itens para implantar seu serviço em uma cidade, como o perfil do potencial usuário. “Perfil não quer dizer renda”, alega. Segundo ele, seria o eventual interesse pela internet – como no caso dos jovens, por exemplo. No Rio de Janeiro, ele exemplifica, há bairros de classe média que a GVT não priorizou em sua entrada em razão do perfil baixo de potenciais usuários.

Também são critérios usados pela GVT a proximidade em relação a cidades já atendidas pela companhia e adensamento urbano.

Em alguns cidades, lembra Alcides, a companhia pode demorar mais a chegar por conta de questões de licenciamento. Em seus estudos de ampliação, a GVT considera ainda possíveis vazios deixados por concorrentes.

Em sua implantação em Fortaleza, em abril, a GVT gerou 1,5 mil empregos diretos ou indiretos.

Com os próximos investimentos mais 300 postos serão abertos, nas mais diversas áreas. A companhia se diz plenamente satisfeita com seus resultados em Fortaleza. O índice de recomendação – usuário que aderiu à GVT a partir de boas recomendações é de 50%, em média. Em Fortaleza o percentual é de 65%.

 ENTENDA A NOTÍCIA
A GVT chegou a Fortaleza em abril, investindo R$ 60 milhões para trabalhar em 30% da cidade e com 75 mil acessos. Antes de o ano terminar, mais R$ 18 milhões são investidos para elevar a cobertura e o número de acessos.

 COBERTURA

Bairros cobertos pela GVT: Aldeota, Amadeu Furtado, Bela Vista, Benfica, Bom Futuro, Centro, Cidade 2000, Cidade dos Funcionários, Couto Fernandes, Damas, Demócrito Rocha, Dionísio Torres, Luciano Cavalcante, Farias Brito, Fátima, Guararapes, Jacarecanga, Jardim América, Jardim das Oliveiras, Joaquim Távora, José Bonifácio, Meireles, Monte Castelo, Montese, Mucuripe, Panamericano, Papicu, Padre Andrade, Parque Araxá, Parque Manibura, Parquelândia, Parreão, Presidente Kennedy, Rodolfo Téofilo, São Gerardo, São João do Tauape, Varjota e Bairro Ellery.

BAIRROS A SEREM ATENDIDOS

Henrique Jorge, Itaoca, Itaperi, João XXIII, Jóquei Clube, Maraponga, Parangaba, Vila Peri, Vila União, Joaquim Távora e Dunas.

(O Povo Online)

Anúncios