O Brasil registrou a criação líquida (saldo entre contratações e demissões) de 204.804 vagas de emprego com carteira assinada em outubro, informou nesta sexta-feira o Ministério do Trabalho e Emprego, com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

O resultado ficou abaixo do recorde histórico para meses de outubro, apurado no ano passado, com saldo de 230.956 vagas formais.

Com o resultado de outubro, o país acumula 2,406 milhões de vagas formais criadas no ano, um recorde histórico para os dez primeiros meses do ano. O melhor resultado anterior em período equivalente, de 2,147 milhões de empregos com carteira assinada, havia sido apurado em 2008.

O desempenho do mercado formal já está próximo da meta de geração de empregos estipulada pelo governo para este ano, que é de 2,5 milhões de vagas.

De acordo com o Ministério do Trabalho, dos 25 subsetores de atividade econômica, oito registraram recorde e cinco tiveram o melhor resultado da série histórica para meses de outubro. Os destaques foram Serviços (com criação líquida de 86.207 postos) e Comércio (+81.347 vagas). No acumulado do ano, 19 subsetores têm recorde histórico. Contudo, a Construção Civil voltou a apresentar perda de dinamismo, apesar do saldo positivo no mês (+11.447 vagas).

Em termos regionais, houve criação líquida de vagas formais em 23 Estados e no Distrito Federal, com destaque para São Paulo, com abertura de 55.377 postos com carteira assinada. Apenas Goiás (-2.151 postos), Acre (-447 vagas) e Tocantins (-185 empregos formais) registraram resultado negativo em outubro.

O Ministério do Trabalho anunciou também que, desde o início do governo Lula, em 2003, já foram criados 14,929 milhões de empregos com a carteira assinada.

LULA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já havia antecipado nesta sexta-feira os dados do Caged.

O presidente comemorou o resultado ao compará-lo com o dos Estados Unidos onde, segundo ele, foram abertas 60 mil vagas a menos no mesmo período.

“Não fiz tudo o que era preciso fazer, mas certamente fiz muito mais do que muita gente esperava”, afirmou ele.

“Muita gente que passou pela presidência se pergunta: ‘Como é que eu não pude fazer o que ele fez'”, disse Lula se comparando aos ex-presidentes.

(Folha Online)