Estudantes do Ceará participam de uma audiência pública na Procuradoria da República do Ceará, coordenada pelo procurador Oscar Costa Filho, na tarde desta sexta-feira (19), para decidir as novas estratégias do Ministério Público Federal (MPF) do Ceará sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

O MPF do Ceará informou que foi procurado pelos alunos para tirar dúvidas sobre as ações do Enem que tramitam na Justiça.

O objetivo da audiência, segundo o MPF, é traçar estratégias com os estudantes para defender os prejudicados pelas falhas do exame. Segundo a assessoria de imprensa do MPF, após o término da audiência, o procurador Oscar Filho vai decidir se vai ou não entrar com um novo pedido judicial para ampliar o direito de uma nova prova a todos os estudantes que se sentiram prejudicados pelos erros do Enem.

O MEC prevê reaplicar o exame somente aos alunos que receberam os cadernos amarelos e tiveram seus problemas registrados nas atas dos fiscais que aplicaram o Enem.

Falhas –  Logo depois do exame, 6 de novembro, os estudantes reclamaram de problemas na folha de respostas e na prova amarela. Na folha de respostas, os cabeçalhos que indicaram as áreas de conhecimento estavam invertidos, na comparação com o caderno de questões. O Ministério da Educação diz que a orientação era seguir a ordem numérica das questões, mas alguns alunos afirmam que não receberam a recomentação e, por isso, preencheram o gabarito de forma invertida.

Além disso, um lote da prova amarela tinha problemas de impressão com algumas perguntas repetidas, outras faltando, sequência numérica errada e até algumas questões de um outro modelo aplicado, a prova branca.

(Portal G1)