A região Sudeste fechou o ano de 2008 com 56% de participação no PIB (Produto Interno Bruto), mas vem perdendo representatividade desde 2002, segundo dados das Contas Regionais do Brasil entre 2004 e 2008, divulgadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa) nesta quarta-feira, 17. Há oito anos, tinha 56,7%.

As outras regiões vêm ganhando espaço. Norte e Centro-Oeste avançaram 0,4 ponto percentual no período, fechando o ano com 5,1% e 9,2% de participação, respectivamente. Já o Nordeste responde por 13,1% do PIB, avanço de 1 ponto percentual em seis anos.

A indústria extrativa mineral do Pará foi a responsável pelo avanço do Norte. A alta dos preços agrícolas produzidos no Mato Grosso e a boa performance dos serviços no Distrito Federal garantiram a expansão no Centro-Oeste. Já no caso do Nordeste, o crescimento generalizado do Maranhão, Ceará e, principalmente do Piauí, foram os propulsores.

O que reduziu a participação do Sudeste foi a perda de 0,8 ponto percentual da representatividade de São Paulo no PIB.

(Redação: Helton Simões Gomes – Portal Eband)

Anúncios