O Partido Socialista da Grécia (Pasok, no poder), de Giorgos Papandreou, venceu neste domingo o segundo turno das eleições regionais, marcadas por uma abstenção superior a 50%.

Os candidatos do partido socialista lideram em oito das 13 regiões do país, segundo projeções baseadas em números do Ministério do Interior.

A cidade de Atenas passará às mãos da esquerda, após 24 anos de poder da direita, afirmou o diretor do Instituto de Estatísticas do ministério, Yannis Karakadas.

Segundo projeções do ministério do Interior, o candidato socialista Giorgos Kaminis (ex-defensor público) e o pequeno partido Esquerda Democrática têm 51,6% dos votos em Atenas, contra 47,9% para o representante da direita, o atual prefeito Nikitas Kaklamanis.

O próprio Kaklamanis já reconheceu a derrota e cumprimentou Kaminis pela eleição.

Segundo o Ministério, os socialistas perdem em Pireu, o grande porto de Atenas e terceira cidade da Grécia, que haviam conquistado nas últimas eleições, há quatro anos.

Os resultados parciais estão muito “ajustados em ao menos quatro regiões” e em Tesalônica (norte), a segunda cidade grega e bastião da direita há mais de duas décadas.

Na região de Ática, que concentra 30% da população da Grécia, o Pasok vence, mas a Macedônia (norte) segue nas mãos da direita.

Papandreou comemorou os resultados obtidos pelos socialistas e destacou que os cidadãos “aprovaram o trabalho do governo”.

“Votaram pela estabilidade”, declarou.

Apesar da importância destas eleições, a abstenção atingiu o nível recorde de 50%, em um país tradicionalmente muito politizado.

(Folha Online)