A Irlanda não está a ter a vida facilitada. O país, que tem estado a pagar juros recorde pela sua dívida, arrisca-se a enfrentar uma nova crise financeira, com a possibilidade de algumas falências na banca, que o Estado já não tem dinheiro para salvar.

Há pouco mais de um mês o Governo da Irlanda garantia aos investidores que não haveria mais surpresas nas contas da banca e do país. Todos os buracos estavam identificados e contabilizados e, para tapá-los, foram gastos 45 mil milhões de euros.

Mas agora parece que, afinal, as surpresas ainda não tinham acabado. Depois de terem sido arrastados até à beira da falência pelos seus péssimos investimentos no imobiliário comercial, os bancos irlandeses podem ir agora ao fundo por causa dos empréstimos à habitação, que foram concedidos de forma massiva nos anos anteriores à crise, ou seja, na primeira década do século, quando a economia estava em rápida expansão.

Hoje calcula-se que uma em cada quatro casas compradas nessa altura valha menos do que aquilo que o proprietário ainda tem de pagar ao banco. Isto, aliado à subida do desemprego, está a fazer com que o malparado esteja a aumentar a um nível assustador e os bancos vivem a ameaça das falências.

Quase 5% das hipotecas estavam em atraso em Junho, e de então para cá a situação certamente piorou. Este quadro leva alguns analistas de mercado a prever mais uma crise no sistema financeiro irlandês. E desta vez é quase certo que o Estado já não terá recursos para voltar a salvar os bancos.

(TVI 24)