Judeus e adventistas que não podem trabalhar ou estudar aos sábados terão horário alternativo para realizar hoje a prova do Enem. Segundo o MEC (Ministério da Educação), há 24.650 sabatistas inscritos.

Eles devem chegar no horário normal (até as 12h55), mas esperarão até as 19h para começar a prova, que se estenderá até as 23h30- uma maratona que pode durar mais de dez horas.

De acordo com o pastor Ronaldo Alberto de Oliveira, da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central Paulista, o sábado deve ser reservado para a comunhão com Deus, atividades religiosas ou sociais.

“Não pode fazer compras nem atividades escolares. Quem realizar o exame deve descansar à tarde e esperar o pôr do sol no sábado”, explica ele.

Beatriz Rodrigues e Henrique de Jesus Santos, membros da igreja adventista, prestarão o Enem no período noturno. Ela tenta uma vaga no curso de farmácia e afirma que pretende dormir durante a tarde.

“Já que não posso levar nem a Bíblia, vou descansar para realizar a prova depois das 19h”, diz.

A PÉ

A comunidade judaica, que tem restrições no período do Shabat, que vai do pôr do sol de sexta ao pôr do sol de sábado, encontra outros empecilhos.
Eles não podem andar de carro nem escrever nem carregar objetos -como documentos e canetas para a realização da prova.

Para chegar até o local do exame, devem ir a pé.

Segundo o rabino Samy Pinto, diretor do colégio Iavne, cerca de 80 alunos não farão a prova em respeito às tradições judaicas, abrindo mão de concorrer a vagas na maioria das universidades federais, por exemplo.

Na prática, os adventistas e os judeus terão uma hora a menos que os outros candidatos para fazer a prova do Enem, uma vez que, por causa do horário de verão em vigor, o pôr do sol ocorre por volta das 20h.

(Folha Online)