Em dez anos, a população da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), sem considerar Fortaleza, cresceu 18,3%. A porcentagem é superior ao crescimento populacional do estado do Ceará, pontuado em 10%. De acordo com o doutor em Geografia Humana e professor da UFC, José Levi Furtado, a valorização financeira do litoral e o crescimento urbano são as causas para os números. 

A RMF concentra atividades produtivas e terciárias que geram emprego e acarretam migrações dentro do Ceará. “Esse crescimento não é derivado de aumento de taxa de natalidade, mas da migração”, projeta o geógrafo. A tendência apontada pelas preliminares do Censo 2010, aposta o professor, é causada pelo aumento nos investimentos federais e estaduais voltados para a dinamização da economia dentro da RMF ao longo desta década.

“Para quem trabalha com a questão urbana, é muito claro que a região é privilegiada no que se refere à remessa de dinheiro do Governo Federal”. Segundo o chefe da unidade do IBGE do Ceará, Francisco Lopes, como a área contígua de Fortaleza já está saturada em termos de população, a Região Metropolitana recebe o fluxo migratório interno do estado. “A população fica próxima de onde está o trabalho”. Para Francisco Lopes, o aumento da RMF já era esperado. “Já em 2007, observávamos o crescimento da Região Metropolitana. As análises que vamos realizar a partir desses números é que vão dizer se as tendências do outro censo estão se mantendo ou se está havendo mudança de rota”.

 (O Povo Online)

Anúncios