A morte do havaiano Andy Irons, 32, pode ter sido provocado por uma overdose. Segundo o jornal havaiano “Honolulu Star Advertiser”, que cita como fonte o laboratório Tarrant County Medical Examiner, que analisa o caso, foram encontradas cápsulas de metadona ao lado do corpo surfista, em um hotel de Dallas, nos Estados Unidos. Irons estava voltando ao Havaí após desistir da etapa de Porto Rico do circuito mundial.

A metadona é um medicamento derivado da morfina, utilizado principalmente para tratar os usuários de heroína e outras drogas.

Procurado pela Folha, o laboratório Tarrant County Medical Examiner declarou que ainda não poderia confirmar a informação.

Informações não-oficiais apontam para um morte causada por dengue hemorrágica, supostamente contraída na etapa de Peniche, em Portugal.

O corpo de Andy Irons vai passar por uma autópsia nesta quarta-feira e o resultado do exame deve sair entre 60 e 90 dias.

O tricampeão mundial –entre 2002 e 2004– foi encontrado morto por um funcionário do hotel em que estava hospedado, após não ter respondido a uma chamada telefônica programada para acordá-lo durante a manhã. Irons passou mal em um voo entre Miami e Dallas e não estava em condições de embarcar em um avião para o Havaí. Por isso, decidiu ficar na cidade texana, onde acabou morrendo.

“Andy era um amado marido e um verdadeiro campeão”, diz comunicado divulgado pela sua família na página oficial da ASP, a associação profissional de surfe.

A mulher de Andy, Lyndie, está grávida e deve dar a luz em dezembro.

(Lance Press)

Anúncios