Eliano Jorge

Em 2010, 17 das 27 unidades federativas do Brasil mantiveram no poder o grupo político que está no respectivo governo local. Foram reeleitos 10 governadores. Dois vices revalidaram seus mandatos. Três partidos produziram sucessores. E dois eleitos tiveram apoio de um governador de outro partido desde o primeiro turno.

Essa manutenção envolve 12 partidos da base aliada da presidente eleita Dilma Rousseff. Do seu PT, há três. Do PMDB, quatro, incluindo o sul-mato-grossense André Puccinelli, que se tornou desafeto do governo federal. Do PSB, também quatro. E um do PMN.

O PSDB permanece com a hegemonia nos dois maiores colégios eleitorais, São Paulo e Minas Gerais, além de Alagoas e Roraima. E, em Santa Catarina, sua coligação elegeu o sucessor do Democratas.

Dos 10 Estados em que as oposições locais triunfaram, o PSDB venceu em quatro: Paraná, Tocantins, Goiás e Pará. E perdeu apenas o Rio Grande do Sul. Para o PT.

Além do retorno ao governo gaúcho, os petistas derrotaram a situação no Distrito Federal. O PSB desbancou os adversários no Amapá e na Paraíba, mas sai de cena no Rio Grande do Norte, onde o Democratas venceu. O PMDB assume o poder em Rondônia.

Terra Magazine