O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) terá de refazer a contagem do Censo 2010 em parte do município de Patrocínio Paulista (412 km de São Paulo), onde um recenseador forjou a coleta de dados.

 Segundo Miriam Spagnolo, coordenadora do IBGE em Franca (400 km de SP), o recenseador inventou os dados de domicílios fechados para não ter de voltar aos locais. O pagamento do recenseador corresponde ao número de casas visitadas.

A fraude ocorreu em pelo menos dez domicílios. Cerca de 300 casas estão sendo revisitadas. A cidade tem aproximadamente 4.000 imóveis. A nova contagem deve ser concluída até amanhã.

O IBGE ainda não divulgou quais serão as medidas tomadas contra o recenseador, mas a Folha apurou que ele deverá ser demitido. A assessoria da prefeitura informou que a fraude foi descoberta após muitas pessoas reclamarem que não tinham sido recenseadas.

O Censo 2010 apontou 12.898 pessoas na cidade, ante as 13.500 esperadas. A prefeitura calculava uma população maior devido à alta de atendimentos em saúde e ao crescimento dos bairros.

O resultado do Censo é determinante para o FPM (Fundo de Participação dos Municípios), repassado pelo Estado. Quanto maior a população, maior o valor.

O analista do IBGE de São Paulo José Roosevelt, que disse não conhecer fraudes similares, afirmou que outros casos podem ter ocorrido, mas que a revisão pelos supervisores –que acontece a partir da semana que vem– diminui as chances de erros.

“Se tudo correr normalmente, não tem como uma fraude passar. O recenseador que insiste em fraudar já está, de antemão, sabendo que vai ser muito difícil passar em brancas nuvens”, disse.

//

Anúncios