Os restos mortais encontrados em Xambioá (TO) pelas equipes que procuram ossadas dos guerrilheiros do Araguaia desaparecidos chegaram na noite de ontem a Brasília em um voo da FAB (Força Aérea Brasileira) e foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal do Distrito Federal.

Eles serão analisados por peritos do IML e do Instituto Nacional de Criminalística. Segundo colaboradores e testemunhas, podem ser de um dos integrantes da guerrilha.

As escavações são feitas pelo Grupo de Trabalho de Tocantins, criado pelo Ministério da Defesa em 2009. A expedição em Xambioá foi a sexta de 2010.

“Em alguns sítios, localizamos vestígios humanos que, após exames iniciais, foram descartados como integrantes da guerrilha. Os únicos não descartados são os que trouxemos nesse voo da FAB”, disse Ricardo Nogueira, perito do IML.

“Só os exames periciais a serem feitos em Brasília permitirão saber se a descoberta no Cemitério de Xambioá pertence ou não a um guerrilheiro, conforme as indicações que nos foram trazidas”, completou.

Segundo ele, não é possível prever quantos dias serão necessários para a conclusão da perícias. O prazo dependerá também da existência de amostras de DNA a serem disponibilizadas em bancos de dados de entidades de direitos humanos, associações de mortos e desaparecidos, entre outras fontes.

A determinação de procura dos restos mortais de pessoas que participaram da Guerrilha e de militares partiu de decisão judicial da Justiça Federal em Brasília.

(Folha Online)

Anúncios