São Paulo – Representantes dos empregados e da direção da Caixa Federal assinam na sexta-feira, às 10h, no Rio, a renovação do acordo coletivo específico. Logo depois, às 12h30, será a vez dos funcionários e direção do Banco do Brasil assinarem a renovação de seu acordo coletivo específico.

Os dois novos acordos coletivos foram conquistados após intensa mobilização dos bancários das duas instituições, com a greve de 15 dias.

No Banco do Brasil, o documento prevê, dentre outras conquistas, reajuste salarial linear entre 7,5% e 13% para todos os trabalhadores (sem teto) e de 13% para o piso, que foi de R$ 1.415 para R$ 1.600. A elevação no piso trará efeitos em todo o PCS. As demais verbas, como cesta-alimentação, vale-refeição e também os valores de referência dos comissionados terão reajuste de 7,5%. Na PLR, já paga no dia 21, ficou mantida a distribuição linear de 4% do lucro líquido semestral, mais o módulo Fenaban acrescido do módulo bônus aos comissionados.

> Leia perguntas e respostas sobre acordo específico do BB

Na Caixa, também foi assegurado o aumento de 7,5% para todos e a aplicação de um delta. Será agregado também R$ 39 às referências no novo Plano de Cargos e Salários. Em todas as gratificações foi aplicado o índice de 7,5%, havendo também correção no piso dos cargos. O piso da referência 201 foi reajustado em 10,19%, passando a valer R$ 1.600.

> Leia perguntas e respostas sobre acordo específico da Caixa

A PLR, a Caixa creditará na sexta 29, como antecipação, o pagamento da regra básica e da parcela adicional da PLR, bem como a metade da PLR Social.

Leia mais
> Perguntas e respostas sobre o acordo com a Fenaban

(Bancários SP)

Anúncios