São Paulo – O Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região estima que cerca de 21 mil trabalhadores aderem à greve por aumento de salário na região metropolitana da capital paulista nesta quinta-feira. Segundo a entidade 452 agências bancárias e 14 centros administrativos estão fechados. Está programada uma passeata no centro da cidade durante a tarde, na tentativa de cobrar a retomada das negociações com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

“Estamos dispostos a negociar. O fim da greve está nas mãos dos banqueiros, basta que apresentem uma proposta à altura do empenho dos bancários, da lucratividade elevada dos bancos e do cenário de crescimento econômico no País e no setor financeiro”, afirmou em nota Juvandia Moreira, presidenta do sindicato, que fará nova assembleia na sexta-feira para definir os rumos da greve. A paralisação começou às 0h de quarta-feira e não tem data determinada para terminar.

Os funcionários de instituições financeiras rejeitaram a proposta que dava reposição da inflação dos últimos 12 meses, de 4,29%, sem aumento real de salários. O Comando Nacional dos Bancários considerou a oferta dos banqueiros insuficiente e tinha dado prazo até a segunda-feira para que a Fenaban apresentasse uma nova proposta para análise da assembleia, o que não aconteceu. Segundo a entidade, o País tem 460 mil bancários, sendo 130 mil na base do sindicato de São Paulo.

Para a Fenaban, a reposição de 4,29%, era uma primeira proposta na busca do porcentual final que corrigiria, com aumento real, salários, pisos, benefícios e participação nos lucros. De acordo com a entidade, os reajustes acertados neste ano seriam aplicados sobre uma convenção coletiva considerada a melhor do País, que assegura uma série de ganhos em termos de remuneração e benefícios, com média salarial de R$ 4.111.

Segundo a entidade, com a aplicação da convenção, seriam corrigidos com o novo acordo os direitos a jornada de trabalho reduzida, de seis horas diárias, participação nos lucros, piso salarial de R$ 1.501,49 para a função de caixa, vale refeição mensal de R$ 371,36, vale alimentação de R$ 289,36 e auxílio creche de R$ 207,95 (por filho).

(O Dia Online)

Anúncios