Diap faz seu progsnóstico de eleição para a Câmara dos Deputados. PT deve ficar com a maioria.

A metodologia adotada, com intervalo entre um número mínimo e máximo de vagas por partido político, decorre, entre outros, de dois aspectos: 1) as coligações partidárias, e 2) o quociente eleitoral, que pode alterar significativamente o desempenho eleitoral das bancadas dos partidos na legislatura 2011-2014 para a Câmara dos Deputados 

O DIAP acaba de concluir seu prognóstico para a eleição da Câmara dos Deputados neste pleito de 2010, feito com base em informações qualitativas e quantitativas.

O levantamento considerou, basicamente, seis aspectos: 1) desempenho individual do candidato (perfil, vínculos políticos, econômicos e sociais, experiência política anterior e serviços prestados), 2) trajetória e popularidade do partido, com base nas últimas cinco eleições), 3) os recursos disponíveis (financeiros e humanos, como financiadores e militantes), 4) coligações e vinculação a candidatos majoritários (senador, governador e presidente), 5) apoio governamental (máquinas municipais, estaduais e federal), e 6) coligações e candidaturas.

A metodologia adotada, com intervalo entre um número mínimo e máximo de vagas por partido, decorre, entre outros, de dois aspectos: 1) as coligações, e 2) o quociente eleitoral, que pode alterar significativamente o desempenho eleitoral das bancadas.

Desse modo, os partidos coligados podem ganhar ou perder vagas para seus parceiros, assim como a exigência de quociente eleitoral pode deixar fora da Câmara candidatos com excelente desempenho em face de o seu partido não ter ultrapassado a cláusula de barreira.

O estudo do DIAP, elaborado sob a coordenação do analista político e diretor de Documentação, Antônio Augusto de Queiroz, cuja integra vai ser colocada disponível na pagina do órgão na internet, inclui também os nomes dos candidatos com chance de eleição.

Veja o quadro comparativo com a previsão para a futura Câmara segundo dados do DIAP, do professor David Fleischer, e das consultorias Patri e Arko Advice.

PROJEÇÃO DIAP DAVID FLEISCHER PATRI ARKO ADVICE 
Partido Min. Max. Min. Max.
PT 85 110 98 90 90 105
PMDB 75 100 102 104 90 100
PSDB 55 70 58 66 55 70
DEM 38 53 48 46 40 50
PR 23 40 21 31 35 42
PP 35 45 37 36 35 50
PSB 30 40 35 32 35 45
PTB 17 30 20 17 25 30
PDT 20 32 27 25 40 40
PSC 7 12 13
PV 10 15 14 18 25
PPS 15 20 14 12 10 18
PCdoB 12 18 12 15 20
PRB 3 8 5
PTC 0 5
PSol 2 6
PMN 2 4
PHS 0 3
PTdoB 0 3
PRP 0 1
PRTB 0 2
PSDC 0 2
PTN 0 1
PSL 0 2
Outros 10
Fonte: Diap