Wagner Gomes, O Globo

Metalúrgicos, bancários e petroleiros terão nesta quarta-feira um dia decisivo para as campanhas salariais.

As três categorias, que estão entre as maiores e mais organizadas do país, vão se reunir com representantes dos sindicatos patronais para negociar e, se saírem sem uma proposta próxima ao que reivindicam – ganhos reais que, no caso dos petroleiros, chegam a 10% -, ameaçam entrar em greve.

A pressão dos trabalhadores fez as montadoras de veículos chamarem nesta terça-feira o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC para negociar.

A reunião foi marcada para às 14h. Às 13h, terminaria o prazo dado pelo sindicato para que as empresas apresentassem nova proposta salarial, sem o que entrariam em greve.

Bancários e petroleiros também estarão em negociação nesta quarta-feira.

– Se as condições econômicas da Petrobras já eram boas, a situação vai melhorar com a capitalização da empresa. A Petrobras não pode ter funcionários insatisfeitos no momento que estabelece regras para o pré-sal – disse João Antônio de Moraes, coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reivindica reposição da inflação pelo INPC (5,16%) mais 10% de aumento real.

Anúncios