No comício da campanha de Dilma Rousseff, sem a presença da candidata, em Ribeirão Preto (SP), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não abordou as acusações de José Serra (PSDB) contra o PT, no episódio da violação do sigilo fiscal na Receita. Mas manteve a linha de ataque.

Em referência aos tucanos, Lula pediu que parassem de “blasfemar na televisão” e comparassem seu governo ao de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). E aludiu uma posição desconfortável: “Ficavam todo dia de quatro diante do FMI! Fomos nós que mandamos o FMI embora… Eles hoje nos devem 14 bilhões de dólares”, bradou o líder petista, no centro da cidade do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, um dos presentes ao palanque.

“Aprenderam a vender o que não era deles, o bem público deste País”, acrescentou Lula, na hora de sacar uma das suas estratégias na campanha de 2006: “Queriam vender a Petrobras, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal! Quando nós chegamos, estava tudo endividado”. Segundo o presidente, é “hora do pão-pão, queijo-queijo”.

Dilma não compareceu ao comício em razão do nascimento de seu neto, Gabriel, na manhã desta quinta-feira (9), em Porto Alegre (RS). A candidata já vinha atribuindo a redução do ritmo de campanha à gravidez de sua filha, Paula. De acordo com a assessoria de imprensa, a petista deve permanecer na capital gaúcha até esta sexta-feira (10).

(Portal Terra)

Anúncios