O ex-superintendente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Gidel Dantas, morreu na manhã desta quinta-feira, 2, aos 75 anos, em decorrência de um câncer de pâncreas. Gidel continuava a prestar consultoria na área de trânsito de todo País.

No Ceará, assumiu a superintendência do órgão duas vezes. No Governo de Virgílio Távora, de 1979 a 1983, e no Governo Tasso, de 1995 a 1998. O filho, João Queiroz Neto, lembra que na primeira passagem do pai pelo Detran, a casa da família foi atingida duas vezes por bombas caseiras. “Meu pai queria moralizar o Detran e não era fácil”, conta.

Gidel foi também deputado federal durante a Constituinte e participou ativamente da formulação do Código de Trânsito. Nascido no Rio Grande do Norte, sentia-se totalmente cearense. “Queriam dar o título de cidadão cearense pra ele, mas ele dizia: ‘não, assim vão acabar descobrindo que não sou daqui”, conta o filho João. Era também pastor evangélico.

O corpo de Gidel está sendo velado na Igreja de Cristo, que fica na rua Frei Marcelino, no bairro Parque Araxá. O enterro está marcado para as 10 horas, no Parque da Paz.

(O Povo Online)