O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) rejeitou recurso apresentado por um deputado estadual do Maranhão e manteve a candidatura de Roseana Sarney (PMDB) ao governo do Estado.

Em decisão monocrática (tomada por um só magistrado), o ministro Hamilton Carvalhido liberou o registro de Roseana e disse que seu caso não se enquadra na lei da Ficha Limpa.

O Ministério Público Eleitoral encaminhou ao TSE parecer contestando a candidatura da filha do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). No documento, a vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, afirma que ela tem a “ficha suja”. Motivo: sua condenação, pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, por propaganda eleitoral extemporânea. Segundo a denúncia, Roseana desvirtuou a publicidade institucional do governo para fins eleitorais.

Carvalhido afirmou que a propaganda fora do prazo não era motivo para tirar Roseana da disputa eleitoral.

Ainda cabe recurso da decisão ao plenário do TSE.

O TRE do Maranhão havia rejeitado a inclusão de Roseana Sarney como “ficha suja” e aceitou seu pedido de registro.

O recurso que motivou o parecer do Ministério Público é de autoria do deputado estadual Anderson Lago, parente de Jackson Lago (PDT), seu adversário no Maranhão.

Roseana só assumiu o governo do Maranhão em abril de 2009 depois que o TSE cassou o mandato de Lago.

(Folha Online)