O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) apresentou, no primeiro semestre deste ano, lucro líquido de R$ 110 milhões, com patrimônio líquido de R$ 2 bilhões e rentabilidade de 10,87% ao ano, na data de 30 de junho de 2010. Os números foram apresentados no Relatório Semestral da Administração do BNB, divulgado nesta sexta-feira, 13.

O documento mostra que, no período, os ativos globais do Banco apresentaram um acréscimo de 3,7% em relação ao final de 2009, totalizando um crescimento de R$ 700 milhões. O resultado deve-se, principalmente, ao aumento no saldo de disponibilidades, aplicações interfinanceiras e títulos de valores mobiliários, com destaque para o aumento no volume de captações de depósitos a prazo.

Com relação ao Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), houve um incremento de 6,7% no saldo total de ativos, ocasionado, principalmente, pelo aporte de recursos do Tesouro Nacional. No primeiro semestre, ingressaram no patrimônio do Fundo mais de R$ 2 bilhões, montante superior aos R$ 1,8 bilhão recebidos no mesmo período do ano passado.

Quando comparados os resultados referentes a 30 de junho de 2010 e 31 de dezembro de 2009, verifica-se ainda a recuperação de R$ 63,4 milhões para o ativo do Fundo, dos quais R$ 32,5 milhões recuperados por meio de renegociação de operações.

Segundo o presidente do BNB, Roberto Smith, a demanda de investimentos continua forte no Nordeste e o Banco conta com aproximadamente R$ 10 bilhões em operações de longo prazo em carteira para contratação no segundo semestre.

“O resultado do Banco sofreu ainda o impacto da crise que assolou o País em 2008 e 2009 e deverá mostrar recuperação até dezembro”, afirmou.

Contratações globais

De janeiro a junho de 2010, o Banco do Nordeste contratou 1,2 milhão de operações de crédito, perfazendo a soma de R$ 8,4 bilhões em aplicações. De julho de 2009 a junho de 2010, foi contratado um total de R$ 19,9 bilhões, o que representa acréscimo de 15,7% nas contratações globais nos últimos 12 meses. A maior parte dos negócios (R$ 4,1 bilhões) foi fechada com os setores rural e industrial.

Um dos destaques da atuação do Banco no primeiro semestre foram as operações de curto prazo, que apresentaram um incremento de 19,1% em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto nos primeiros seis meses de 2009 foram contratados R$ 3,2 bilhões; de janeiro a junho deste ano, as contratações somaram R$ 3,8 bilhões, dos quais R$ 2,6 bilhões por meio de crédito comercial.

O relatório ainda destaca a boa expectativa em relação aos investimentos em infraestrutura no segundo semestre, graças a R$ 2,4 bilhões de negócios que o Banco possui em carteira com o setor, além de R$ 950 milhões em propostas de financiamento.
Fundo Constitucional

Por meio do FNE, o Banco do Nordeste contratou 183,5 mil operações no primeiro semestre, das quais 174,2 mil (95%) foram negociadas com o setor rural. Ao todo, foram R$ 4,1 bilhões investidos com recursos do Fundo, dos quais a maior parte (R$ 1,4 bilhão) também foi contratada com o setor rural.

Ainda com relação ao número de operações, o relatório destaca que a maior quantidade dos financiamentos (181,1 mil) foi concedida para pequenos, micro e mini produtores rurais (aqueles com receita agropecuária bruta anual de até R$ 300 mil). O valor médio por operação realizada com esse setor foi de R$ 6,4 mil.

Fonte: Blog Demais