Motoristas, Cobradores e fiscais de ônibus de Fortaleza começaram a paralisar as atividades por volta de meio-dia, desta quinta-feira, 12, após uma reunião entre os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro). As paralisações tiveram início nas ruas do Centro da Cidade. Na avenida Aguanambi, motoristas pararam os ônibus, solicitaram aos passageiros que descessem e secaram os pneus.

A greve da categoria retorna após 50 dias de suspensão, devendo cumprir o percentual mínimo de 30% da frota de ônibus em circulação na Capital e Região Metropolitana de Fortaleza.

De acordo com o Sintro, caso os empresários tentem interferir na greve quando a frota mínima de coletivos estiver em circulação, os motoristas poderão iniciar ações como a chamada “catraca zero”, liberando a entrada de passageiros pela porta da frente dos coletivos, sem que seja cobrada a tarifa da passagem. Neste momento, os ônibus circulam com 100% da frota.

A categoria já havia anunciado para esta quinta-feira o início da nova greve entre os trabalhadores de transportes rodoviários, que buscam reajuste salarial. Enquanto eles reivindicam 15% de aumento, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) oferece 5,5% de reajuste.

Nesta quinta-feira, o procurador regional do Trabalho, Gerson Marques, entrará na Justiça do Trabalho com pedido de julgamento do dissídio coletivo para evitar que a greve seja deflagrada. Entre os usuários do transporte coletivo, o clima é de incerteza, nervosismo e expectativas. A Etufor informou, por meio de nota, que garantirá a segurança nos terminais de ônibus.

(O Povo Online)

Anúncios