Na comparação com o primeiro semestre de 2009, o lucro líquido do Banrisul cresceu de R$ 210,8 milhões para R$ 305 milhões nos primeiros seis meses deste ano, anunciou na manhã desta quarta-feira, dia 11, o presidente da instituição, Mateus Bandeira.

No segundo trimestre, o banco gaúcho registrou lucro de R$ 183,1 milhões, superando em 75,7% o resultado líquido de igual período do ano passado, que foi de R$ 104,2 milhões.

Em cerimônia realizada no auditório do 4º andar da direção geral do banco, Bandeira destacou o aumento das receitas de créditos e a redução no nível de inadimplência, agora em 3,2%. Conforme o presidente, essa perfomance está melhor do que a média do mercado, em grande parte graças à estratégia do banco de crescer em crédito consignado, inclusive com a compra de carteiras de outros Estados.

Em junho deste ano, o Banrisul atingiu um valor de ativos – principal indicador do porte das institutições financeiras – de R$ 31,1 bilhões, um crescimento de 12% em relação ao primeiro semestre de 2009.

Bandeira destacou o aumento da presença do Banrisul em Santa Catarina, onde no primeiro semestre foram abertas três agências, completando 40 fora do Estado. No Rio Grande do Sul, o banco fechou o semestre com 398 agências.

Assédio moral e abusos

Para o diretor da Fetrafi-RS, Carlos Augusto Rocha, embora o lucro obtido seja expressivo, é de se lamentar que o resultado tenha sido alcançado às custas do esforço desmedido do quadro de funcionários do banco. “Os trabalhadores são submetidos a intenso assédio moral e constrangimentos. Em muitos casos, trabalhando literalmente às escuras nos locais de trabalho para atingir as absurdas metas de contenção de custos”, diz o dirigente sindical.

“Esperamos que a contrapartida pelo resultado obtido seja na mesma proporção. A expectativa dos funcionários é por um pagamento imediato das promoções e uma RV decente”, declara Rocha.

Qualificação dos funcionários

A cada balanço publicado pelo banco fica caracterizado o esforço, dedicação e a importância dos banrisulenses para obtenção destes resultados. Mesmo assim, a diretoria da instituição não demonstra o interesse em reconhecer esta dedicação, negando subsídios e custeios à qualificação do seu quadro funcional.

O diretor da Fetrafi-RS, Amaro Souza. alerta que este é o momento de avançar na luta dos banrisulenses. “Estamos começando novamente a Campanha Salarial. Sábado (14) será realizado o Encontro dos Banrisulenses onde estaremos também discutindo o resultado do balanço do primeiro semestre”, destaca.

“Convidamos os funcionários a participarem da luta para garantir que este lucro resulte em aumento salarial digno, reajuste significativo na PLR e para viabilizar melhores condições de saúde e trabalho e a democratização e melhoria dos benefícios na Fundação e Cabergs. A participação dos banrisulenses é essencial para avançar nestas conquistas”, completa Amaro.

Mais respeito às pessoas

O secretário-geral do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, Fábio Soares Alves, observa que o lucro do Banrisul cresceu conforme o restante do sistema financeiro nacional, com todos os bancos têm apresentando números maiores do que no primeiro semestre do ano passado.

“Que o Banrisul tenha também o mesmo crescimento na contribuição à Fundação Banrisul, nos salários das pessoas, no respeito às pessoas e na qualificação profissional. É isso que vamos buscar nesta campanha nacional. Convidamos a todos os banrisulenses a participarem do 18º Encontro Nacional para juntos cobrarmos a nossa parte nesta lucratividade”, disse.

O dirigente entende que a redução das despesas implantada pelo banco não pode levar ao sucateamento dos materiais e do patrimônio. “Vimos isso nos veículos da Unidade de Infraestrutura e nas mais diversas unidades da rede”, frisou.

Outros números do balanço

A carteira de empréstimos do banco mostrou crescimento de 28%, chegando a R$ 15,442 bilhões. O banco diz que o crescimento do saldo das operações de crédito se deve, principalmente, à expansão da carteira de pessoa física, que alcançou R$ 6,895 bilhões em junho, marcando um crescimento de 50,8% em doze meses.

A evolução é atribuída ao crescimento de R$ 1,898 bilhão do crédito consignado em 12 meses. Em junho, o saldo do consignado chegou a R$ 5,133 bilhões na carteira do Banrisul.

O banco ainda informa que o índice de inadimplência, que considera atrasos superiores a 60 dias, ficou em 3,2% em junho, abaixo dos 3,4% de dezembro e dos 4,1% de um ano antes.

Para 2010, o Banrisul prevê uma expansão da carteira de crédito total entre 22% e 28%, com destaque para o saldo das operações de pessoa física, que deve subir de 30% a 35%, segundo as estimativas da instituição financeira.

O banco também diz que espera, para os próximos trimestres, uma redução dos spreads no setor bancário, que correspondem à diferença entre a taxa de captação e a taxa de juros cobradas pelos bancos aos clientes. A expectativa segue uma tendência de estabilização da inadimplência, aumento da competição bancária e maior custo de captação com a elevação dos juros básicos da economia (Selic).

Fonte: Fetrafi-RS, SindBancários, ZH.com e Valor Online

Anúncios