O Comando Nacional dos Bancários entregou à Fenaban nesta quarta-feira 11 a pauta de reivindicações da categoria para a campanha 2010, que tem como principais bandeiras reajuste de 11%, valorização dos pisos salariais, PLR maior, mais contratações, fim do assédio moral e das metas abusivas, plano de cargos e salários, previdência complementar e igualdade de oportunidade para todos. A primeira rodada de negociações será realizada na semana que começa no dia 23, em data a ser definida ainda esta semana.

“A economia brasileira está vivendo um momento de explosão do crescimento e o sistema financeiro está melhor ainda, como mostram os balanços já divulgados. Os bancos têm plenas condições de dar sua contrapartida social, atendendo por um lado as reivindicações dos trabalhadores e por outro as demandas da sociedade por mais crédito e redução dos juros, do spread e das tarifas”, afirmou Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional ao entregar a pauta de reivindicações ao presidente da Fenaban, Fábio Barbosa.

Carlos Cordeiro reiterou que a Campanha Nacional 2010 não deve ser meramente economicista, como apontaram os bancários nas consultas feitas pelos sindicatos e pela pesquisa nacional da Contraf-CUT. “Além de mais remuneração, a categoria deixou claro que exige mais qualidade de vida e não suporta mais o assédio moral e as metas abusivas. As pessoas devem estar em primeiro lugar”, acrescentou o presidente da Confederação.

A presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, cobrou celeridade na definição da data e destacou que a negociação coletiva é fundamental para a realização do acordo coletivo e até para a solução de conflitos, sem a interferência de outros atores, referindo-se ao uso da força policial, de interditos proibitórios e do Tribunal Superior de Trabalho (TST).

“Os bancários entendem o valor da mesa de negociação como ponto primordial, ainda mais em um ano em que os bancos registram elevação média do lucro de 26% e que a expectativa de crescimento do PIB já supera os 7%. Nossas reivindicações vão muito além do aumento real”, disse, ao ressaltar que a pauta é fruto de um processo amplo de consulta aos trabalhadores e que representa as expectativas e demandas da categoria, diretamente dos locais de trabalho.

Seminário sobre sistema financeiro

Carlos Cordeiro aproveitou a presença do presidente da Fenaban para propor a realização de um seminário sobre o sistema financeiro nacional. “Nós destacamos na mídia da Campanha Nacional que outro banco é preciso e, por isso, queremos discutir o sistema financeiro que temos e o que queremos”, disse. Ele defendeu que, além de representantes dos bancários e dos bancos, também sejam convidados a participar do evento as centrais sindicais, as entidades dos empresários e outros atores sociais. A Fenaban ficou de analisar a proposta.

Calendário de mobilização

O Comando Nacional dos Bancários reúne-se na tarde desta quarta-feira na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, para definir o calendário de mobilizações da campanha.

A pauta de reivindicações da Campanha Nacional 2010 foi definida na 12ª Conferência dos Bancários, realizada no Rio de Janeiro entre 23 e 25 de julho, coroando um amplo processo democrático de discussão com a categoria. As principais demandas da campanha são as seguintes:

Remuneração e Previdência

– Reajuste salarial de 11% (inflação do período mais 5% de aumento real).

– Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de três salários mais R$ 4 mil para cada funcionário

– Piso salarial no valor do salário mínimo do Dieese (R$ 2.157,88).

– Elevação do auxílio-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta-alimentação e auxílio-creche/babá para o valor de um salário mínimo para cada item

– Previdência Complementar para todos os bancários

Emprego

– Mais contratações

– Ampliar a contratação de mulheres, negros e pessoas com deficiência, garantindo igualdade de oportunidades

– Garantia de emprego

– Reversão das terceirizações

– Qualificação e requalificação profissional

Saúde do Trabalhador

– Fim das metas abusivas

– Combate ao assédio moral

– Prevenção contra os riscos de adoecimentos

– Programa de Reabilitação Profissional em todos os bancos

– Promoção da saúde da mulher

– Assistência médica, hospitalar, odontológica e medicamentosa

– Manutenção de todos os direitos aos afastados por problemas de saúde

Segurança Bancária

– Assistência médica e psicológica às vítimas de assaltos, sequestros ou extorsões

– Ampliação dos equipamento de prevenção

– Adicional de risco de vida de 30% para agências, postos e tesouraria

– Proibição de transporte de valores e guarda das chaves pelos bancários

– Estabilidade provisória para vitimas de assaltos, sequestros e extorsões


Sistema Financeiro

– Regulamentação do artigo 192 da Constituição Federal

– Regulamentação da remuneração dos executivos

– Democratização e ampliação do Conselho Monetário Nacional (CMN)

– Regulamentação do papel social dos bancos

– Fim dos correspondentes bancários

– Fortalecimento dos bancos públicos

Fonte: Contraf-CUT

Anúncios