A Lei da Ficha Limpa já foi usada como fundamento para indeferir 18 candidaturas no país. O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Minas Gerais foi que mais barrou candidatos: 10.

A legislação aprovada neste ano estabelece que são inelegíveis os políticos condenados por órgãos colegiados do Poder Judiciário, como os TJs (Tribunais de Justiça) estaduais.

Os candidatos que tiveram os pedidos de registro eleitoral rejeitados pelos TREs ainda podem recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Veja abaixo a lista dos indeferidos:

Paraná
Erivan Passos da Silva (deputado estadual, PRTB)

Minas Gerais
Adilson da Vale Verde (candidato a deputado federal, PTN)
Antônio Carlos Bouzada (a estadual, PC do B)
Athos Avelino Pereira (a estadual, PPS)
Carlos Alberto Pereira (a federal, PDT)
Eduardo Santos Porcino (a estadual, PV)
Leonídio Henrique Correa Bouças (a estadual, PMDB)
Maria Lúcia Soares de Mendonça (a estadual, DEM)
Pedro Caminhas Pinduca (a estadual, PP)
Silas Brasileiro (a federal, PMDB)
Wellington Magalhães (a estadual, PMN)

Santa Catarina
João Pizzolatti (a deputado federal, PP)

Espíriro Santo
Luiz Carlos Moreira (estadual, PMDB)
Marcelino Fraga (estadual, PMDB)
Roberto Valadão Almokdice (estadual, PMDB)

Ceará
Sineval Roque (deputado estadual, PSB)

Paraíba
Francisco Edmilson da Silva Ribeiro (deputado estadual, PCB)

Rondônia
Jair Miotto (deputado estadual, PPS)

(Folha Online)

Anúncios