O Banco do Brasil já começou a convocar os aprovados nos dois concursos públicos realizados neste ano para cadastro de reserva para o cargo de escriturário, que exige nível médio. O salário inicial é de R$ 1.416, mais R$ 371,36 de ajuda alimentação e R$ 239,36 de cesta alimentação, para jornada de 30 horas semanais.

Em fevereiro, foi lançado o edital do concurso para cadastro de reserva para os estados da Bahia, exceto para a cidade de Salvador, e para os estados de Goiás, Minas Gerais, exceto para o Triângulo Mineiro, e Pará, exceto para as cidades de Afuá (PA), Almeirim (PA) e Monte Dourado (PA).

De acordo com a assessoria de imprensa do banco, os aprovados desse concurso estão sendo chamados desde maio. Já foram convocadas para trabalhar na instituição 544 pessoas. A instituição não informou o total de aprovados.

No caso do concurso realizado para o interior de São Paulo, cujo edital foi lançado em abril, foram 14.520 candidatos aprovados, e o banco já chamou 50 deles.

Apesar de o prazo de validade do concurso anterior para o interior de São Paulo, realizado em 2007, vigorar até 17 de outubro de 2011, o último candidato aprovado nesse exame foi chamado nesta quarta-feira (28), segundo o banco.

De acordo com a assessoria de imprensa, o banco pretende chamar todos os aprovados dos concursos deste ano, levando em conta a demanda da instituição financeira e respeitando o prazo de validade dos concursos, que é de um ano, prorrogável por igual período. Para este ano, o banco não prevê mais concursos públicos.

O Banco do Brasil informou ainda que está cumprindo um acordo feito com o sindicato da categoria bancária de chamar 10 mil aprovados em concursos até 2011 – mais da metade desse número já foi convocada.

9 mil convocados por ano
De acordo com o diretor de gestão de pessoas do Banco do Brasil, Amauri Sebastião Niehues, em média, o banco costuma chamar por ano 9 mil aprovados em concursos em todo o país – 5 mil são novos funcionários e 4 mil são para reposição de empregados que saem ou se aposentam. No entanto, isso não significa que todas as vagas são preenchidas com a abertura de novos concursos, mas também com os já realizados e que estão dentro do prazo de validade.

Os concursos continuarão sendo para cadastro de reserva porque o banco adotou a prática de fazer concursos independentemente de haver vagas disponíveis para ter sempre um banco de candidatos aprovados à disposição. Segundo Niehues, um novo concurso é lançado quando está para vencer o prazo de validade do anterior ou quando o cadastro de reserva está esgotando.

Os concursos passaram a ter validade de um ano, prorrogável por mais um, no ano passado. Antes o prazo era de dois anos, prorrogável pelo mesmo período. De acordo com o diretor de gestão de pessoas, a probabilidade de o candidato ser chamado é maior com o prazo de validade menor.

A opção de fazer concursos para cadastro, alega o diretor, é que pela legislação não haveria condições de resolver o problema de pessoal só quando houvesse vagas especificadas no edital porque é necessário fazer licitação para escolher a organizadora, respeitar os prazos das provas e resultados, que levam de seis meses a um ano, e por isso haveria defasagem para preencher os postos.

(Gazeta Web)

Anúncios