Fortaleza continua puxando o mercado de trabalho no Ceará. Levantamento da Secretaria de Planejamento do Município (Sepla) aponta que, do total de empregos com carteira assinada gerados no Estado, no ano passado, aproximadamente 55% vieram da Capital. Foram 35.391 postos dos 64.436 criados no âmbito estadual. Nessa conta, o peso permanece sobre o setor de serviços, com 16.759 vagas (47%), seguido pelo comércio, com 6.949 (20%).

O segundo colocado foi o município de Sobral, com a criação de 9.669 postos de trabalho, seguido de Maracanaú (3.494), Eusébio (2.510) e Juazeiro do Norte (2.470).

Para o economista José Meneleu Neto, coordenador de Planejamento da Sepla, o grande destaque coube mesmo à construção civil, responsável pela geração de 6.486 empregos, isto porque, explica, “Fortaleza gerou o equivalente a 66% do total de vagas criadas por este setor em todo o Ceará (9.816 postos)”.

Turismo tem sua força

“O forte da nossa Capital continua sendo o setor de serviços, com destaque para a educação, a saúde, a administração pública e ainda a prestação de serviços de transportes e comunicações e de alojamento e alimentação, estes últimos frutos da vocação turística do município”, destaca Meneleu, chamando a atenção para os 2,4 milhões de turistas que visitaram o Estado, em 2009, tendo como portão de entrada Fortaleza. “Para se ter uma ideia, as atividades de alojamento e alimentação e de transportes e comunicações tiveram, em 2008, um estoque de 64.216 e 28.259 vagas, respectivamente, o que corresponde a um incremento de quase 14% para o primeiro e de cerca de 16% para o segundo, na comparação com 2005”, justifica o economista.

Também merece destaque a importância das micros, pequenas e médias empresas na geração de empregos na Capital. Segundo Meneleu, de 50% a 90% das empresas estabelecidas em Fortaleza, sejam elas da indústria de transformação, do comércio ou de serviços, possuem de quatro a 49 vínculos empregatícios, o que corresponde ao porte dessas empresas.

Participação no PIB

A importância da Capital na criação de empregos no Ceará confirma-se ainda pela participação do Município na geração das riquezas estaduais. De acordo com dados mais recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2007, Fortaleza responde por quase 50% do PIB (Produto Interno Bruto) do Ceará.

(Diário do Nordeste)

Anúncios