Rio de Janeiro – Foram três dias de debates com a participação de cerca de 700 delegados bancários eleitos em todo o país. Assim, a 12ª Conferência Nacional dos Bancários definiu a pauta de reivindicações da categoria para a Campanha Nacional Unificada 2010. Pauta será entregue à federação dos bancos em agosto.

“Mais uma vez os delegados valorizaram a democracia e a representatividade dos mais de 460 mil bancários de todo o Brasil”, diz a presidenta do Sindicato, Juvandia Moreira. “Durante todo o fim de semana discutimos, entre bancários eleitos em assembleias em todo o país, as propostas apresentadas nas conferências regionais. Ou seja, a pauta que será entregue aos banqueiros é resultado de um amplo debate e da defesa das diferentes necessidades dos trabalhadores da categoria”, afirma a presidenta, lembrando que os bancários mantêm há 18 anos uma Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) que vale para os empregados de bancos em qualquer cidade do Brasil.

A pauta de reivindicações para a Campanha Nacional 2010 prevê reajuste salarial de 11% (5% de aumento real mais a inflação projetada de 5,71%), Participação nos Lucros de Resultados (PLR) de três salários mais R$ 4 mil; vale-refeição, alimentação e 13ª cesta-alimentação no valor de um salário mínimo (R$ 510). Os bancários querem ainda o fim do assédio moral e das metas abusivas, mais segurança e empregos. E, também, a contratação da remuneração total, ou seja, a parte fixa (salário) e a variável (como os programas próprios de resultados dos bancos).

> Veja no quadro (abaixo) as principais reivindicações aprovadas

Eleições 2010 – Os delegados eleitos para participar da 12ª Conferência Nacional dos Bancários discutiram, ainda, a eleição para a Presidência da República em 2010 diante dos dois projetos com viabilidade eleitoral. “Um deles já foi implementado antes, durante toda a era FHC, e sabemos o malefício que significa para o Brasil e a classe trabalhadora: desemprego altíssimo, flexibilização de direitos, privatizações etc”, explica Juvandia. “Outro, que os delegados bancários decidiram apoiar, é a continuidade da atual política do governo federal, que está sendo implementada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com geração de 12 milhões de novos empregos, distribuição de renda, inclusão social com projetos como Luz para Todos e o Bolsa Família que retirou milhões de brasileiros da miséria. Além disso tudo, a candidata Dilma Roussef se comprometeu em negociar a Plataforma dos Trabalhadores, votada em junho por 30 mil trabalhadores das cinco maiores centrais sindicais do país, em evento histórico que lotou o estádio do Pacaembu, em São Paulo”, completa.

Campanha Nacional Unificada
Remuneração e Previdência
Reajuste salarial de 11% (inflação do período mais 5% de aumento real)
PLR de três salários mais R$ 4 mil
Piso salarial no valor do salário mínimo do Dieese (R$ 2.157,88)
Elevação do auxílio-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta-alimentação
e auxílio creche/babá para o valor de um salário mínimo para cada item
Contratação da remuneração total
Previdência Complementar para todos os bancários
Saúde do Trabalhador
Fim das metas abusivas
Combate ao assédio moral
Proteção contra os riscos de acidente de trabalho ou doença ocupacional
Programa de Reabilitação Profissional
Prevenção de adoecimento e promoção da saúde da mulher
Assistência médica, hospitalar, odontológica e medicamentosa
Emprego
Mais contratações
Ampliar a contratação de mulheres, negros e pessoas
com deficiência, garantindo igualdade de oportunidades
Garantia de emprego
Qualificação e requalificação profissional
Sistema Financeiro
Regulamentação do artigo 192 da Constituição Federal
Regulamentação da remuneração dos executivos
Democratização e ampliação do Conselho Monetário Nacional
Regulamentação do papel social dos bancos
Segurança Bancária
Assistência médica e psicológica às vítimas
de assaltos, sequestros ou extorsões
Ampliação dos equipamento de prevenção
Adicional de risco de vida de 30% para agências, postos e tesouraria
Proibição de transporte de valores e guarda das chaves pelos bancários
Estabilidade provisória para vitimas de assaltos, sequestros e extorsões

Cláudia Motta – Rede de Comunicação dos Bancários – 25/07/2010

(Bancários SP)

Anúncios