Os bancários que participam da 12ª Conferência Nacional defenderam, na noite da última sexta-feira (23), a participação ativa da categoria na Campanha Nacional 2010. Os sindicalistas defenderam a unidade como principal estratégia de luta para garantir novos avanços para os trabalhadores.

Entre os principais temas da minuta de reivindicações deste ano estão: mais emprego, aumento real, fim das metas abusivas e do assédio moral, e melhores condições de saúde, segurança e trabalho. Além disso, os participantes da Conferência defenderam que a campanha discuta também a necessidade da sociedade, inclusive do movimento sindical, controlar o sistema financeiro. Os delegados sindicais ressaltaram também a importância da disputa nas eleições presidenciais deste ano. “Um dos projetos pretende privatizar os bancos federais, o que nós não vamos permitir. Por isso, apoiamos a candidatura da Dilma, que é a melhor opção para o país”, disse Carlos Cordeiro, presidente da Contraf-CUT.

O presidente da Federação dos Bancários RJ/ES Fabiano Júnior falou de suas expectativas para a campanha nacional deste ano. “Estamos representando mais de 400 mil trabalhadores nesta Conferência. Tenho certeza de que sairemos daqui com uma pauta de reivindicações que agregará novos valores à categoria”, comentou. 

 Bancários fazem história

 Esteve presente também na solenidade o presidente da CUT-RJ, o bancário Darby de Lemos Igayara, que ressaltou a importância da categoria na história política e social do Brasil, “Os bancários têm feito parte da história do Brasil, contribuindo para as transformações e melhorias do país, disse.

O presidente do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, Almir Aguiar, destacou a alegria em receber os bancários de todo o país para o encontro. “O Cristo Redentor é a expressão de nossa satisfação em acolher a todos que vêm aqui para viver ou visitar, assim como aos que estão nesta Conferência”, afirma.

Almir acrescentou ainda que o Sindicato esteve sempre na vanguarda da história do movimento sindical. “Nestes 80 anos, nossa entidade nunca se ausentou das lutas da classe trabalhadora. Assumimos o compromisso de continuar esta trajetória e construirmos, juntos, um país justo, fraterno e solidário”, completa.

 (SEEB  Rio)

Anúncios