O site Mobiliza PSDB terá que publicar, nos próximos 10 dias, direito de resposta do Partido dos Trabalhadores (PT) às declarações do candidato à vice-presidência, Índio da Costa (DEM-RJ), sobre supostas ligações entre a legenda e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). A decisão foi tomada ontem pelo ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Henrique Neves. O PT tem prazo de 24 horas para escrever uma mensagem, sem teor eleitoreiro, que será usada no mesmo site que levou ao ar a entrevista do deputado federal. No vídeo, Índio acusa o PT de envolvimento com as Farc, o narcotráfico e “tudo que há de pior”. Ainda cabe recurso da decisão.
 
 De acordo com o ministro, adversários políticos não devem se tratar como inimigos. Ele cita um trecho do livro A arte da prudência, de Baltasar Grácian: “Entre os inimigos, a cortesia é um dever. Custa pouco, mas recebe um belo dividendo, quem respeita é respeitado”. 
 
A pena aplicada pelo ministro é o dobro previsto em lei, variável de acordo com o tempo de veiculação da entrevista. A justificativa de Henrique Neves é que primeiro o PSDB repetiu o mesmo “expediente” considerado ofensivo na campanha de 2002, em que relacionou o PT ao traficante Fernandinho Beira-Mar. Depois, a grande repercussão e a gravidade das acusações. “Passados quase oito anos, o mesmo partido político que patrocinou aquela inserção considerada como ofensiva pelo Tribunal — não pelas referências às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, mas pela associação à pessoa condenada por tráfico de drogas — retorna ao mesmo expediente.”
 
O ministro cobrou ainda que os candidatos usem as campanhas para levar aos eleitores ideias, propostas e projetos. “Não são edificantes ataques pessoais e genéricos, como se a eleição se decidisse não pela escolha do mais apto, mas pela exclusão do pior.”
 
 O TSE contrariou o parecer do Ministério Público Eleitoral que opinava pela veiculação do direito de resposta no site do jornal Folha de São Paulo. O ministro entendeu que a Folha só publicou matéria jornalística, ao contrário do site do partido. Em seu parecer, a vice-procuradora-geral Eleitoral, Sandra Cureau, concorda que Índio atingiu a imagem do PT com “nítido caráter difamatório.”
  
Ontem o Presidente Lula disse que o candidato do PSDB, José Serra, que reforçou a tese propagada por Índio da Costa, não poderia ter feito a “insanidade” de apontar uma ligação do PT com as Farc. Segundo o presidente, o tucano deveria respeitar o partido por uma afinidade histórica. “A gente pode ter divergência político-ideológica agora, mas ele jamais poderia dizer uma insanidade dessa contra o PT, jamais”, afirmou o presidente.
 
(Correio Brasiliense)