Depois de ser preterido como candidato à Presidência e desistir de disputar a eleição deste ano, o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) será comentarista na TV Cidade de Fortaleza, emissora afiliada da Rede Record no Ceará.

Ele fará comentários diários sobre política, economia, violência e drogas, entre outros temas. A estreia de Ciro como comentarista ainda não tem data definida.

O anúncio foi feito por Ciro, em entrevista à emissora ontem à noite.

Os comentários do deputado serão veiculados em um dos programas de maior audiência da emissora, o Cidade 190, telejornal policial e comunitário, apresentado por dois radialistas que também atuam na política: o vereador de Fortaleza licenciado Vitor Valim (PHS-CE) e o deputado estadual Edson Silva (PSB-CE), que em 1988 perdeu para Ciro as eleições para a prefeitura da capital cearense.

O editor-chefe do programa, José Filho, disse que a escolha de Ciro deve-se à sua “credibilidade” e que os comentários terão cerca de cinco minutos. Segundo José Filho, na próxima segunda- feira a equipe vai se reunir com o deputado para acertar os detalhes.

A TV Cidade não informou se ele receberá cachê. A assessoria de Ciro Gomes disse que o deputado ainda não sabe detalhes da sua participação, como formato, salário ou data de estreia.

O dono do Grupo Cidade de Comunicação, da qual a emissora faz parte, é o empresário Miguel Dias de Souza, que ocupa a segunda suplência na candidatura ao Senado do deputado federal Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Apesar de ter afirmado, há uma semana, que não faria campanha “para ninguém” e que não pediria votos para a candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, Ciro Gomes disse ontem em entrevista à TV Cidade que está apoiando a ex-ministra da Casa Civil e criticou os tucanos.

“Estou apoiando a Dilma, não tem vacilação. Aquela gente no passado, que quase arrebenta o Brasil, a turma do Fernando Henrique, nunca mais”, disse.

Ciro voltou a lamentar ter ficado fora da disputa presidencial deste ano e disse que sofreu “uma rasteira” do seu partido, que “deu corda” em sua candidatura e “tirou o tapete” de seus pés.

(Folha Online)