A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, 15, a Operação Mônaco, com o objetivo de reprimir crimes previdenciários em Fortaleza, Cascavel e Aquiraz. Pelos resultados obtidos até o momento, a PF estima prejuízo de R$ 2 milhões aos cofres públicos. Participaram da ação 80 policiais federais e 19 servidores do Ministério da Previdência Social.

Segundo a PF, até o momento, foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão. A Justiça Federal expediu 11 mandados de prisão, dos quais nove já foram cumpridos.

De acordo com as investigações, que se iniciaram em novembro de 2007, constatou-se a existência de esquema voltado à prática de concessões fraudulentas de benefícios previdenciários nos três municípios.

A quadrilha envolve servidores públicos, membros de entidades representativas de trabalhadores, que facilitavam a concessão de benefícios previdenciários por meio de documentos falsos, de acordo com a Polícia Federal. Parte do grupo agia sob a coordenação de um estudante de direito em parceria com um servidor do INSS, que repassavam processos indeferidos para obtenção via judicial.

Outra parte do grupo era articulada por outro servidor do INSS que agia nos processos que exigiam perícias médicas, no encaminhamento dos pretensos segurados a médicos participantes do esquema fraudulento.

Os envolvidos responderão pelos crimes de estelionato previdenciário, formação de quadrilha, inserção de dados falsos em sistema de informação, corrupção passiva e falsidade de atestado médico, todos previstos pelo Código Penal.

(O Povo Online)

Anúncios