O casamento entre Bruno e Flamengo poderia ter se rompido de maneira mais amigável. É o que conta a avó materna do goleiro. De acordo com Luceli Alves de Souza, de 65 anos, o neto já preparava a papelada para se transferir do Rubro-Negro dias antes de ser acusado do assassinato da ex-namorada Eliza Samudio.

– O Bruno me ligou e pediu os documentos dos bisavós que são portugueses. Disse que era para tirar dupla cidadania. E que isso iria facilitar em uma transferência para o exterior. Só não entrou em detalhes do time que estava negociando – garantiu a professora aposentada de Ciências Sócias, moradora de Alcobaça, cidade ao sul da Bahia, ratificando o desejo que o jogador tem desde 2009.

Além disso, Dona Luceli disse que não foram poucas as vezes em que pediu para Bruno se afastar da “turma de parasitas” de Ribeirão das Neves, que praticamente morava com o jogador no Rio de Janeiro.

– Fiz questão de não conhecer o sítio dele em Minas. Não gostava daquele pessoal todo. Certa vez, o Bruno me disse que tinha rompido com todos. Ele me ligou para contar a novidade e fiquei satisfeita com aquilo. Mas logo depois voltou a pagar ponte aérea, roupa e hospedar o Macarrão, o Sérgio e outros – afirmou.

A sexagenária lamenta o fato de não ter se aproximado mais do neto por causa da esposa de Bruno, Dayanne de Souza.

– Ela tem muito ciúme dele e não queria que nós, da parte materna da família, ficássemos mais íntimos. Ela que controla o Bruno e todo o dinheiro dele – declarou.

(Portal G1)

Anúncios