O Tribunal Superior Eleitoral(TSE) surpreendeu os partidos políticos do Brasil ao definir que partidos aliados nos estados com candidatos diferentes à presidência ficam impedidos de usar voz e imagem dos candidatos em sua propaganda eleitoral. Essa resolução do TSE adotada na noite desta terça,29, obrigará reajustes em dezenas de coligações partidárias por todo o País. 

A consequência dessa nova definição da Justiça Eleitoral é que no Ceará nem o governador Cid Gomes nem o candidato do PR, Lúcio Alcântara, poderão utilizar a imagem da candidata do PT, Dilma Roussef em sua propaganda eleitoral da televisão. Também fica vedada a voz de Dilma nos programas de rádio. A proibição também vale para a internet, cartazes e adesivos.

A proibição do uso da candidata Dilma por Lúcio Alcântara decorre dele estar aliado ao PPS na disputa ao Governo do Ceará. O PR de Lúcio está com Dilma, mas o PPS vota em Serra. Assim, Lúcio fica impedido de colocar a imagem e a voz de Dilma Roussef. Essa decisão atrapalha a estratégia eleitoral dele de se vincular como segundo palanque de Dilma no Estado.

A mesma regra vale para o governador Cid Gomes. Na sua coligação, o PHS tem candidato a presidente. O PTdoB deve lançar candidato a presidente da República como também o PSL. Ou seja, na coligação do Governador existem pelo menos três candidatos ao Planalto, incluindo a candidatura de Dilma Roussef. A nova regra do TSE veda a propaganda de Cid o uso da voz e da imagem da candidata Dilma Roussef.

A solução para o governador Cid Gomes e para o candidato Lúcio Alcântara é reexaminar as coligações partidárias. Cid terá que se livrar do PTdoB, PHS e PSL se quiser utilizar a imagem de Dilma Roussef na sua propaganda. Já Lúcio não poderá manter a aliança com o PPS que apóia a candidatura de José Serra.

(Portal Ceará Agora)

Anúncios